O mês de outubro promete com esses lançamentos Bertrand.

Tem lançamentos para todos os gostos :

Um chinês de bicicleta – Ariel Magnus

(Un chino en bicicleta)

Tradução de Marcelo Barbão

Literatura Estrangeira

Editora Bertrand Brasil

280 páginas

R$ 34,00

ISBN: 9788528616163

Sinopse

Em Um chinês de bicicleta, o leitor descobre uma Buenos Aires diferente do centro cosmopolita comumente retratado. O humor típico de Ariel Magnus permeia a obra e nos apresenta Ramiro e Li, dois homens perdidos na vida, metáforas do fracasso e do desespero de toda uma geração que “sofre” a modernidade. Da soma dos dois e de tantos outros, uma narrativa quase antropológica, divertida, vertiginosa e voraz, na qual a visão do outro nunca nos pareceu tão real e, ao mesmo tempo, surreal.

O chinês Li é acusado de incendiar lojas de móveis em Buenos Aires. Uma das testemunhas do julgamento é o portenho Ramiro Valestra, técnico em informática, meio gordinho, sardento e narigudo. Sua vida muda por completo quando é sequestrado pelo oriental durante a fuga em pleno tribunal. Deixará para trás uma mãe alcoólatra, um computador e o carregador de seu iPod, e será levado para o bairro chinês de Buenos Aires.

A partir desse momento, a imersão de Ramiro na desconhecida cultura chinesa pelas ruas de sua cidade natal será completa. O que se vê é um retrato muito especial e um tanto surrealista de um mundo dentro de outro, de uma cultura dentro de outra, e um choque cultural tão comum quanto incomum.

Durante o sequestro (muito estranho, pois ele tem liberdade para andar pelas ruas do bairro), Ramiro percebe que pode começar uma vida nova, longe de seu passado, da ex-namorada judia, da mãe que está sempre bebendo e não o reconhece e do trabalho monótono. As relações entre os personagens serão a chave para isso e para a revelação da grande verdade sobre Li.

Um chinês de bicicleta é, sem dúvida, a história mais criativa e bem-humorada sobre a imigração chinesa na Argentina – na verdade, mais criativa e bem-humorada sobre quase tudo.

“Um chinês de bicicleta é um romance engraçado sobre o azar e a sorte, a diversidade e o amor.” (Soles Digital)

Rosa Negra – Nora Roberts

(Black Rose)

Vol. 2: Trilogia das Flores

Trad.: Luís Santos

Literatura Estrangeira

Editora Bertrand Brasil

350 páginas

R$ 39,00

ISBN: 97885286 16170

Sinopse

Uma mulher forte e independente acredita que o amor é algo que ficou para trás. Mas ela está a ponto de se surpreender…

Após agradar o público com Dália Azul, chega ao Brasil Rosa Negra, segundo volume da Trilogia das Flores, de Nora Roberts. Assim como todos os títulos da autora, vendeu centenas de milhares de cópias nos Estados Unidos e na Grã-Bretanha e figurou nas principais listas de mais vendidos.

Ao mesclar romantismo com uma dose de paranormalidade, a autora criou uma trama que agradará até aos seus mais exigentes fãs. A Trilogia das Flores é um exemplo perfeito da técnica narrativa de Nora Roberts que conquistou milhões de leitores ao redor do mundo.

Aos 47 anos, Rosalind Harper (Roz) é uma mulher capaz de passar pelas maiores provações sem esmorecer. Com três filhos, ela sobreviveu a dois casamentos e construiu um viveiro, de onde tira seu sustento. Ao longo dos anos, o viveiro deixou de ser apenas um ganha-pão e se tornou muito mais que isso: um símbolo da esperança e da independência dela, que divide o negócio com mais duas mulheres, Hayley e Stella, suas companheiras para todas as horas. As três são o futuro do viveiro.

Contudo, esse futuro corre perigo, e Rosalind sabe que elas não podem lutar sozinhas contra o fantasma da Noiva Harper. Contratado para descobrir os ancestrais da família Harper, o Dr. Mitchell Carnegie se vê intrigado com a própria protagonista. E, conforme o mistério por trás da identidade da Noiva Harper começa a se desfazer, ela percebe com espanto que se vê atraída pelo genealogista.

Três mulheres se encontram em momentos fundamentais em suas vidas — todas em busca de novas formas de crescer — e descobrem umas nas outras a coragem de arriscar e encarar o futuro.

“É impossível negar o talento natural de Nora Roberts para criar um par romântico que caia nas graças do público.” (The Independent)

 

 

Vidal, Vidais: Textos de Geografia Humana, Regional e Política –

Org.: Rogério Haesbaert, Sergio Nunes Pereira e Guilherme Ribeiro

 

Não Ficção, Geografia

Editora Bertrand Brasil

464 páginas

R$ 59,00

ISBN: 9788528616217

Sinopse

A obra na qual emerge um grande intelectual

Vidal, Vidais: Textos de Geografia Humana, Regional e Política, organizado por Rogério Haesbaert, Sergio Nunes Pereira e Guilherme Ribeiro, analisa as ideias e o legado deixado por Paul Vidal de la Blache. Fundamental na evolução da Geografia em finais do século XIX e início do século XX, tinha fé na ciência e, mais particularmente, na disciplina à qual consagrava todos os seus esforços: a Geografia Humana.

Paul Vidal de la Blache foi um personagem central na conformação acadêmica da Geografia e em seu diálogo com outras Ciências Sociais. Com talento e obstinação, redefiniu os princípios metodológicos e o estilo de pesquisa da disciplina, obtendo reconhecimento imediato em sua geração e nas posteriores. Sua obra atravessou o tempo, provocando exaltações, críticas e reinterpretações, como somente acontece com os grandes autores. A herança encontra-se hoje aberta à inspeção, em benefício de uma melhor apreciação do pensamento geográfico passado e contemporâneo.

Em Vidal, Vidais, os três autores apresentam três partes integradas, em que enfatizam o caráter inovador de Vidal na Geografia Humana e demonstram a força de seu pensamento em dois campos particulares: o da Geografia Regional, com uma rica e múltipla trajetória em termos conceituais, e o da Geografia Política, na qual emerge um intelectual pouco conhecido, envolvido com as questões políticas de seu tempo.

“Ajudará as jovens gerações a compreender melhor no que as atuais orientações de pesquisa ainda são tributárias das intuições do período 1880-1920 e no que elas também parecem profundamente datadas.”

(Paul Claval)

 

Wunderkind – Uma reluzente moeda de prata – D’Andrea G.L.

(Wunderkind – una lucida moneta d’argento)

Trilogia Wunderkind

Tradução de Mario Fondelli

Literatura Estrangeira, Suspense

Editora Bertrand Brasil

392 páginas

R$ 39,00

ISBN: 978-85-286-1619-4

Sinopse

Tão poderoso quanto um conto de Gaiman e tão perturbador quanto o mais ferino Barker,um livro surpreendente de um autor de estilo inovador e visionário.

Neste momento atual em que muitos livros de fantasia são lançados, para um título destacar-se é necessário que possua, principalmente, uma trama envolvente e personagens cativantes. Este é o caso de Wunderkind – Uma reluzente moeda de prata, de D’Andrea G.L.. Após enorme sucesso na Itália, na época de seu lançamento, a crítica europeia o comparou aos livros de Neil Gaiman.

A vida de Caius Strauss muda completamente no momento em que ele recebe uma moeda de prata de presente de um horrível e misterioso sujeito com cara de lua. E por mais que ele tente se livrar dela, o objeto sempre acaba voltando para ele.

Com uma linguagem fantástica típica de um autor que é especialista no gênero, D’Andrea escreveu um thriller de horror que traz citações de grandes artistas, como Shakespeare e Tolstói. Convincente, visionário, obscuro e, às vezes, violento, um livro elegante e bem-escrito.

Wunderkind é uma experiência. Você é levado pelo autor e passa a jogar em um mundo onde nada e ninguém é o que parece. Grande história, uma rara habilidade para contar.

“Uma história ao mesmo tempo cruel e delicada, contada em estilo cinematográfico.” (GoodReads)

 

As joias de Manhattan – Carmen Reid

(The Jewels of Manhattan)

Tradução de Maura Paoletti

Literatura Estrangeira, Chick-Lit

Editora Bertrand Brasil

350 páginas

R$ 39,00

ISBN: 978-85-286-1622-4

Sinopse

Uma história romântica, maravilhosa e cintilante para quem já sonhou em ter uma vida com mais brilho

Famosa por seus romances chick-lits, Carmen Reid apresenta seu terceiro título do gênero no Brasil: As joias de Manhattan. Criado a partir da frase de uma história contada por sua filha de sete anos – “Três garotas lindas decidem roubar uma joalheria” –, o livro proporciona cenas de humor, de emoção e, principalmente, de muitas surpresas.

Três irmãs, um destino: se tornarem milionárias.

Como conseguir: vendendo joias roubadas.

Sua experiência no assunto: zero.

Chance de o plano virar de pernas pro ar: 100%.

As joias de Manhattan traz a história de três jovens que se mudam de um rancho no interior do Texas para a imprevisível Nova York, desejando fama e riqueza. Um chick-lit com todos os ingredientes necessários: romance, personagens cativantes e engraçados, um final imprevisível e situações que farão os leitores se emocionarem.

Com um ritmo dinâmico, muita confusão e aventura, além de descrições perfeitas das cenas, As joias de Manhattan parece um roteiro de cinema. No fim, os leitores estarão apaixonados pelas confusões que as protagonistas conseguem atrair.

Carmen Reid arrancará risadas dos leitores, mas os fará refletir: é possível, com um roubo, alcançar a vida perfeita?

“Uma comédia romântica com um quê de criminalidade. Brilhante.” (Closer)

 

Os monstros do cartógrafo: O ataque da vampantera! – Rob Stevens

(The Mapmaker’s Monsters – Vampanther Attack)

Ilustrações de Adam Stower

Tradução de Ana Resende

Literatura Estrangeira, Infantojuvenil

Editora Bertrand Brasil

400 páginas

R$ 35,00

ISBN: 9788528616200

Sinopse

A segunda de uma série de aventuras pelos quatro cantos do mundo

Piloto de uma companhia aérea, Rob Stevens concluiu seu primeiro livro, o premiado best-seller Os monstros do cartógrafo: cuidado com os bufalogros!, ao longo de várias viagens. Escrevendo novamente durante suas jornadas pelo mundo, o autor apresenta agora o segundo volume da série: O ataque da vampantera!.

Uma história de aventura e fantasia que se passa em pleno século XV, a série Os monstros do cartógrafo, com ilustrações de Adam Stower, traz tramas emocionantes de superação e de demonstração do amadurecimento de um menino que agradarão leitores de todas as idades. Foi o que aconteceu na Inglaterra, quando se tornou leitura obrigatória entre alunos de colégios e de universidades.

Hugo está viajando outra vez. Ele vai para as montanhas sombrias da Transilvânia, um lugar que, literalmente, não está no mapa. Lá, nada é o que parece.

Para resgatar o amigo de seu tio e localizar o castelo oculto da terrível vampantera, Hugo contará com a ajuda de criaturas fantásticas e inacreditáveis: uma gata falante que prevê o futuro, um lobisomem bem agitado e um Abominável Orangofango. Além, é claro, de seu grande amigo Feroz, um rato falante e divertido.

Os monstros do cartógrafo: o ataque da vampantera! é uma história cheia de criaturas fantásticas, lugares incríveis, muito mistério e aventura.

“Um escritor surpreendente.” (The Telegraph)

 

O dia em que te esqueci – Margarida Rebelo Pinto

Literatura Estrangeira

Editora Bertrand Brasil

176 páginas

R$ 29,00

ISBN: 97885286 16231

Sinopse

Um abraço com páginas

O dia em que te esqueci, segundo livro de Margarida Rebelo Pinto lançado pela Bertrand Brasil, apresenta uma carta de despedida dirigida a um grande amor. Uma das escritoras mais importantes de Portugal na atualidade, vendeu milhões de exemplares em toda Europa e conseguiu um enorme número de fãs por vários países.

Uma história sobre os caminhos que as pessoas precisam percorrer para alcançar o verdadeiro amor, traduzida numa narrativa envolvente e sensível, que leva mais uma vez o leitor a uma viagem interior à descoberta dos seus próprios sonhos e medos.

O dia em que te esqueci é uma lição de vida que se desenvolve, primordialmente, por meio de dois conselhos. O primeiro deles diz que não vale a pena dizer “tenho que esquecer”, para que isso ocorra, é necessário desistir de amar. O segundo afirma que procurar uma nova paixão para esquecer uma antiga também não é solução. O amor não pode ser forçado, tem que acontecer naturalmente

Para as mulheres que viveram um grande amor e para todos os homens que o perderam. Uma carta envolvente que ajuda a descobrir novas portas para o verdadeiro amor.

Segundo a autora, “esquecer é uma forma de morrer, ninguém quer viver a morte ainda vivo”.

“O dia em que te esqueci, da sempre cristalina Margarida Rebelo Pinto, funciona como um salvo-conduto do amor.” (Fabrício Carpinejar)

Boa leitura.

See ya!

Rosana