Bertrand – Lançamentos dezembro 2012


lancamentos-bertrand

Olá!

Não percam os lançamentos Bertrand:

O Azarão –  Markus Zusak

Literatura Estrangeira

176 páginas

ISBN: 978-85-286-1643-9

Garotos são como cães: estão sempre prontos para atacar, latir e pedir uma chance de mostrar seu valor

O livro que Markus Zusak escreveu antes do best-seller mundial A menina que roubava livros

Antes de tornar-se mundialmente conhecido, Markus Zusak escreveu livros de sucesso que somente agora estão sendo publicados no Brasil. O primeiro título chama-se O azarão. Fãs de A menina que roubava livros não podem deixar de ler os romances que iniciaram a carreira estelar desse autor.

Narrado em primeira pessoa, o livro apresenta a história de Cameron Wolfe, um garoto de 15 anos perdido na vida e que vive às turras com a família. Trabalha com o pai encanador e sua mãe está sempre brigando com os filhos. Todos moram juntos numa casa pequena.

Steve é o mais velho e mais bem-sucedido. Sarah é a segunda, e está sempre dando uns amassos com o namorado. Rube é o terceiro e o mais próximo de Cameron. Os dois, além de boxeadores amadores, vivem armando esquemas para roubar lojas e outros locais do tipo. Contudo, os planos nunca saem do papel.

Uma história sobre a vida e sobre as lições que dela podem ser tiradas. Um romance de formação que exibe um jovem incorrigível, infeliz consigo mesmo e com sua vida.

“Vamos encarar os fatos, até falei para mim mesmo, você não merece uma namorada. Estava certo. Não merecia. E dava mostras, no melhor dos casos, de uma moral duvidosa. Era controlado com facilidade pelo meu irmão. Fazia coisas patéticas, que não tinham importância, e só eram feitas por um tipo de orgulho selvagem que era tão ridículo que mal dava para entender. Era uma pessoa confusa, desesperada e ansiosa, andando por aí para que alguma coisa me fizesse sentir bem…

Então. De repente.

Num instante, pensei que era estranho nunca ter rezado por mim mesmo. Será que eu não tinha salvação? Será que era tão sujo que não merecia uma oração?

Talvez. Pode ser.”

(p.96)

Cinquenta tons do sr. Darcy – Emma Thomas

(Fifty Shades of Mr Darcy)

Literatura Estrangeira, Paródia

304 páginas

ISBN: 978-85-286-1640-8

A paródia mais inusitada e engraçada do século retrasado – ou melhor, de todos os tempos!

Imagine Elizabeth Bennet e o sr. Fitzwilliam Darcy, protagonistas de Orgulho e preconceito, deixando de lado a moral e o recato e dando vazão a seus desejos mais ocultos de forma mais pervertida que Christian Grey e Anastasia Steele, personagens de Cinquenta tons de cinza. O resultado: Cinquenta tons do sr. Darcy, a incrível e hilária paródia escrita por um famoso escritor inglês sob o pseudônimo de Emma Thomas.

É interessante notar como a autora aliou duas linguagens tão distintas: uma clássica e recatada e outra moderna e coloquial. Além disso, é notório que Thomas estudou minuciosamente os dois romances, mesclando as melhores passagens e situações das histórias. Contudo, obviamente, a ironia é a principal característica de Cinquenta tons do sr. Darcy:

“Se pudesse lhe mostrar (…) como uma partida de gamão poderia se equiparar à excitação de grampos de mamilos e como adornar um chapéu poderia proporcionar tanto prazer aos sentidos quanto a inserção de um plugue anal extragrande.”

Leitura obrigatória para aqueles que amaram o livro de Jane Austen e/ou o de E L James. No fim, uma certeza: todos vão querer ler outros romances clássicos também em versões apimentadas.

“Os leitores poderão ler as cenas que sempre quiseram e não puderam.” (The Guardian)

Estação infinita e outras estações – Ruy Espinheira Filho

Poesia Brasileira

588 páginas

ISBN: 978-85-286-1631-6

A obra-poética de um dos maiores escritores da atualidade

Em Estação infinita e outras estações, Ruy Espinheira Filho reúne poemas escritos a partir de 1966, que começaram a ser publicados em livro a partir de 1973. Uma obra que mostra a carreira admirável e ilustre de um grande poeta. Com este novo título, o autor completa 39 anos de publicações e 70 de idade.

Mário de Andrade dizia que arte se faz com carne, sangue, espírito e tumulto de amor. Assim é feita a obra de Ruy Espinheira Filho, a qual Carlos Drummond de Andrade definiu como “poesia concentrada e de sutil expressão” ao ler o segundo livro do poeta, Heléboro, sua estreia em volume individual.

Com Estação infinita e outras estações, o autor completa 39 anos de publicações em livro e 70 de idade. Este é o quinto livro do autor publicado pela Bertrand Brasil.

Ruy lançou mais vinte livros de poemas, tendo recebido, entre outros, o Prêmio Nacional de Poesia Cruz e Sousa, o Prêmio Ribeiro Couto da UBE-RJ, o Prêmio de Poesia da Academia Brasileira de Letras e o segundo lugar do Prêmio Jabuti de 2006. Foi finalista do Prêmio Nestlé e indicado ao Prêmio Portugal Telecom, em 2010.

“A poesia de Ruy Espinheira registra, no seu conjunto, de maneira muito pessoal e autêntica, algumas das linhas de força da poesia e da vida cultural do País nas últimas décadas.” (O Estado de S. Paulo)

“Trata-se, por excelência, do poeta da memória na poesia brasileira contemporânea, tema explorado ao mesmo tempo com agudeza de pensamento e com a necessária transmutação lírica.” (Alexei Bueno)

“Um dos mais importantes poetas líricos brasileiros da modernidade” (Miguel Sanches Neto)

 

O último tiro –  Lee Child

(One Shot)

Literatura estrangeira, Suspense

406 páginas

ISBN: 9788528612745

Com Tom Cruise no personagem principal, livro de Lee Child chega aos cinemas

Aventura, suspense e um final imprevisível. Essa é a mistura apresentada por Lee Child nos seus best-sellers, publicados em mais de 20 países. O último tiro, lançado anteriormente como Um tiro e considerado um dos melhores livros do autor, chega aos cinemas brasileiros no começo de 2013. O autor é hoje um dos três escritores do gênero policial mais vendidos no mundo.

O livro tem início com a descrição dos passos de um franco-atirador em direção a um massacre iminente: com controle, precisão, tranqüilidade e seis disparos, cinco alvos são atingidos. Pânico, notícia e mistério: todas as evidências apontam para James Barr, um veterano da Guerra do Golfo, como o principal suspeito dos crimes. Barr, no entanto, se diz inocente. E sabe que apenas um homem terá coragem e tenacidade para perseguir a verdade: Jack Reacher, protagonista de todos os títulos de Lee Child.

“Não se contentando em escrever um suspense estrondoso, Lee Child ainda nos apresenta um dos heróis verdadeiramente durões e memoráveis da ficção atual.” (Jeffery Deaver)

“Todos os romances com Jack Reacher têm histórias interessantíssimas.” (Stephen King)

 

“— As evidências estão todas lá — disse Chapman. — Creio que sejam fortes demais. Você não pode se fingir de bobo agora. Precisamos conversar sobre o porquê de você ter feito aquilo. É isso que vai nos ajudar aqui.

Barr não disse nada.

— Talvez tenha sido a sua experiência na guerra — disse Chapman. — Ou estresse pós-traumático. Ou algum tipo de problema mental. Precisamos nos concentrar na razão.

Barr não disse nada.

— Negar não é uma atitude inteligente — disse Chapman. — As evidências estão todas lá.

Barr não disse nada.

— Negar não é uma opção — disse Chapman.

— Ache Jack Reacher para mim — disse Barr.

— Quem?

— Jack Reacher.

— Quem é ele? Um amigo?

Barr não disse nada.

— Alguém que você conheceu?

— Apenas o encontre para mim.

— Onde ele está? Quem é ele?

Barr não disse nada.

— Jack Reacher é um médico? — perguntou Chapman.

— Um médico? — repetiu Barr.

— Ele é um médico? — perguntou Chapman.

Mas Barr não falou mais nada. Apenas se levantou, andou até a porta do cubículo

e bateu nela, até que o carcereiro a abriu e o levou para a sua cela superlotada.”

(p. 39-40)

 

Veleiros ao mar – Sarah Mason

(Sea fever)

Literatura Estrangeira, Chick-Lit

756 páginas

ISBN: 978-85-286-1630-9

Nesse jogo só pode haver um vencedor. E ninguém segue as regras

Após três livros publicados no Brasil, entre eles, o best-seller e premiado Um amor de detetive, Sarah Mason apresenta uma de suas obras mais elogiadas por leitores e pela crítica: Veleiros ao mar. A incrível história de duas equipes que se enfrentam, lutam contra os elementos da natureza e vivem o maior desafio de suas vidas.

Como um chick-lit de alto nível, o livro possui muito romance, rivalidade entre homens e mulheres, reviravoltas e traições. Nota-se, também, o seu diferencial e marca registrada de Sarah: a ironia inteligente. Será impossível conter as risadas frente às situações criadas pela protagonista.

O sonho de Erica Pencarrow, mais conhecida como Inky, é competir pela Grã-Bretanha na America’s Cup, o maior desafio de barcos à vela do mundo, que apenas os melhores e mais ricos velejadores têm chance de ganhar. Mas, antes de realizar seu maior desejo, ela terá que usar sua determinação e suas habilidades para enfrentar inimigos, como o principal patrocinador da competição, que acredita que velejar não é para mulheres. Para piorar, Inky se apaixona por um rival.

Veleiros ao Mar, novo livro de Sarah Mason, apresenta uma trama repleta de aventura, sedução e drama.

Além de Um amor de detetive, foram publicados pela Bertrand Brasil: Alta sociedade e A vida é uma festa.

“Brilhante e divertido. Inky é uma protagonista fantástica e vem muito bem-acompanhada.” (Heat)

“Faz o leitor dar boas risadas, e os momentos de competição deixam qualquer um com os nervos à flor da pele.” (Cosmopolitan)

Boa leitura.

See ya!

Rosana

Previous Amazon começa hoje a vender livros no Brasil
Next Novo Conceito - Lançamentos 2013

4 Comments

  1. Jessica Lisboa
    24/01/2013

    O que eu gostei foi Cinquenta tons do sr. Darcy, parece ser uma boa.

  2. Fernanda Faria
    03/01/2013

    Eu ainda não li nada do Markus, até comecei a ler a menina que roubava livros, mas eu abandonei ;/
    Me interessei por Veleiros ao alto mar, eu amo mesmo chick lit *-*

  3. Layse Hana
    13/12/2012

    To querendo ler O Azarão ouvi muitas pessoas falando bem do livros!

    xoxo

  4. Gladys Freitas
    07/12/2012

    Li umas resenhas do “Azarão” e perdi o interesse.

    Fiquei curiosa ao ler essa frase: “…chick-lit de alto nível…” É a primeira vez que vejo essa referência a uma livro.

    😉

Deixe um comentário! Quero saber o que achou do texto ;)