Avaliação

.Deixou com gosto de quero mais. O livro é muito bonito, a história é tocante e nos faz pensar em todas escolhas que fazemos no decorrer da vida e que mudam nossos caminhos para sempre. E também é uma história de encontros, não só com os outros, mas um encontro de si mesmo, e encontrar o seu lugar.

9
Nota

Olá!

Confesso que estou meio de ressaca depois de ler Laços inseparáveis.Deixou com gosto de quero mais. O livro é muito bonito, a história é tocante e nos faz pensar em todas escolhas que fazemos no decorrer da vida e que mudam nossos caminhos para sempre. E também é uma história de encontros, não só com os outros, mas um encontro de si mesmo, e encontrar o seu lugar.

Eu me identifiquei muito com a protagonista, a Marian, por causa da época que ela viveu a adolecência, as músicas e as neuras que temos nessa época de transição . Primeiro amor,  grunge surgindo, Pearl Jam, Simpsons…

Pearl Jam – anos 90

A resenha contém algum, mas mesmo assim não vão estragar sua leitura. Não tem como falar do livro sem contar alguma coisa 🙂

Marian mora em NY, é uma bem sucedida produtora de tv,tem um namorado que é CEO da rede de tv que ela trabalha, que além de ser bonito e rico, ela acredita que seu futuro é com ele.

Mas tudo muda numa noite. Após um desentendimento com Peter sobre a falta de interesse em conversar sobre o futuro, sobre um casamento, já que ele está divorciado há 4 anos e está com Marian há 2, ela vai para casa e alguns minutos depois tem a sua porta Kirby Rose. Seu grande segredo. A filha que ela deixou para adoção há 18 anos.

Fico paralisada esperando as palavras que eu imaginava e temia, com as quais ficava apavorada e sonhava nos últimos 18 anos. Então, quando parecia que meu coração iria explodir, eu finalmente a ouço dizer:  Acho que você é minha mãe. pág 27

Ela engravidou no último verão do ensino médio. Marian que era chefe de torcida, boa aluna, certinha, na festa na casa de sua melhor amiga, Jane, encontra Conrad, o músico, que não estava em nunhum dos grupinhos da esola, mas que revela sempre estar “de olho nela”, eles ficam juntos e ela perde a virgindade, e passam o verão todo juntos, mas ambos sabem que são de mundos opostos. E no fim ela se vai sem nem dizer adeus. Apesar do amor dos dois.

Apesar de tudo, naqueles momentos ofegantes e suados, nunca imaginei o que aconteceria a seguir. Nunca imaginei que aquilo seria algo além de um momento na minha vida. Uma história de minha juventude. Um capítulo daquele verão. Uma onda de calor com começo, meio e um fim definitivo. pág 36

E a vida aparentemente certinha e organizada de Marian começa a desmoronar com o aparecimento súbito de Kirby. Na verdade, ela viveu 18 anos de mentira e o pior, enganando a si mesma.

Em capítulos alternados ora narrado por Marian, ora narrado por Kirby, somos transportados para uma história com muita alegria, mas também com muita mágoa ao mesmo tempo. Com decisões que alteraram o rumo da vida de muitas pessoas.

Marian não contou esse segredo para ninguém, nem para seu pai, somente para mãe que a acompanhou durante todo o processo, o ano que ficou escondida … Mas agora ela terá que contar, inclusive para o pai biológico de Kirby.E tudo está diferente, inclusive seu relacionamento com Peter é afetado, pois ele acha que Marian deveria ter confiado nele e que não ter contado para Conrad , o pai biológico foi um erro terrível.

Quanto a Kirby, um ano após sua adoção, seus pais tem a surpresa de ter uma filha, mas Kirby contunua sendo tratada igualmente. Mas como toda adolescente, passa a sentir-se diferente e apesar de ser tratada igualmente e amar sua família, sente-se deslocada. Pois Charlotte é boa atleta, estudiosa e Kirby apesar de ser muito inteligente, não se esforça de propósito. E a dúvida que foi plantada através dos anos, pelos outros que perguntavam, a leva agora aos 18 anos a solicitar informações sobre sua mãe biológica. Pois foi uma adoção fechada, onde ela só teria acesso a mãe depois dos 18 anos.

E Kirby, escondida dos pais vai a NY encontrar Marian. Que apesar de não saber lidar direito com a situação, sempre sentiu que um dia a veria novamente. Mas esse encontro com os dias que passaram juntas não houve conexão entre elas.

Depois de alguns dias do passado bater a sua porta e Marian exposto seu segredo para os amigos, ela passa a ter um pequeno contato com Kirby, que resolve conhecer o pai biológico e Marian deverá confrontar seu passado. Mas ela está mais nervosa que Kirby, ela mentiu tanto tempo para si mesma que talvez o momento de consertar as coisas tenha ficado para trás e todos acontecimentos desde que Kirby apareceu em sua porta afeta e ameaça tudo que define Marian. Como disse no início, fiquei com ressaca, o livro deixou com gosto de quero mais, muito mais!

“Você pode correr, mas não pode se esconder”

Sobre a diagramação, capa, papel são muito agradáveis a leitura e encontrei somente um ou outro erro de revisão.

Recomendo!

Capa, ficha técnica, sinopse:

 

Laços Inseparáveis

Where we belong

Emily Giffin
ISBN: 9788563219473
Editora:  Novo Conceito
Número de páginas: 448
Encadernação: Brochura
Formato: 16 X 23 cm
Ano Edição: 2012

Sinopse

A autora de cinco romances de sucesso, Emily Giffin, lança uma história inesquecível de duas mulheres, as famílias que a fazem ser quem são, e a lealdade e o amor que as ligam.

Marian Caldwell é uma produtora de televisão de 36 anos, vivendo seu sonho em Nova York. Com uma carreira bem-sucedida e um relacionamento satisfatório, ela convenceu todo mundo, inclusive si mesma, que sua vida está do jeito que ela deseja. Mas uma noite, Marian atende a porta… para apenas encontrar Kirby Rose, uma garota de 18 anos com a chave para o passado que Marian pensou ter deixado para trás para sempre. Desde o momento que Kirby aparece na sua porta, o mundo perfeitamente construído de Marian — e sua verdadeira identidade — será chacoalhado até o fim, fazendo ressurgir fantasmas e memórias de um caso de amor apaixonado que ameaça tudo para definir quem ela realmente é.

Para a precoce e determinada Kirby, o encontro vai provocar um processo de descobrimento que a leva ao começo da vida adulta, forçando-a a reavaliar sua família e seu futuro com uma visão sábia e doce.

Enquanto as duas mulheres embarcam em uma jornada para encontrar o que está faltando em suas vidas, cada uma irá reconhecer que o lugar no qual pertencemos normalmente é onde menos esperamos — um lugar que talvez forçamos a esquecer, mas que o coração se lembra eternamente.

Booktrailer

No livro a autora cita Small Town do Pearl Jam:

 

Boa leitura.

See ya!

Rosana