Olá!

Aqui encerramos a trilogia mais badalada dos últimos tempos, a Trilogia 50 tons de cinza. Realmente acredito que foi um fenômeno devido a novidade e expectativa criada por ser uma trilogia erótica.

“— Muito bem Sra. Grey. Agora que você me pegou, o que vai fazer comigo ?

Eu me abaixo e cochicho em seu ouvido :

— Vou foder você com a minha boca.”

 

Para mim continuou repetitivo. A escritora melhorou um pouco no segundo, mas esse continua morno. As discussões entre o casal e toda tônica do relacionamento é meio adolescente.

Começa com a lua de mel deles , mas a possessividade do Sr Grey não diminui, já Ana parece estar mais segura de si.

Menos submissão, mais amor , paixão, tesão … Christian Grey continua com sua insegurança, mas em certo ponto do livro se despe, contando sobre seu passado para Ana. Afinal é o terceiro livro, precisávamos ter um desfecho, ou uma luz nessa história.

Ana assume o cargo de seu antigo chefe na editora e tenta a todo custo mostrar que é por seu mérito e não por seu sobrenome, afinal Christian comprou a editora… uma pequena coisa aqui, outra ali e como disse, as discussões meio adolescentes, nesse caso mais de Ana e uma notícia inesperada os pegando de surpresa, abalam o relacionamento, deixando Grey meio fora de órbita e o milionário bonitão para nos deixar com muita raiva dele, claro, acaba trazendo a senhora Robinson novamente para história, o que deixa Ana fora dos eixos também. Drama, drama e drama e também há um mistério no ar, alguém está tentando se vingar , e põe em risco a toda família, não só Sr Grey, isso dá uma tensão legal na história.

Aqui também há os emails engraçados, mas essa repetição vai perdendo a graça, até as cenas quentes entre os dois vão cansando. No geral é um livro razoável, por ser o desfecho achei que poderia ser um pouquinho mais.

Mas como venho dizendo o mérito da trilogia está em mudar o que tínhamos no mercado editorial e mostrar que o público gosta de ler livro erótico sim. A escritora não é lá essas coisas, mas não vamos diminuir o mérito dela , obviamente. Agradeço, pois temos mais opções de leitura erótica pipocando por aí por causa dela.

Leia sem preconceito, a história da trilogia é boa, o que cansa é a repetição e um pouco de falta de precisão e habilidade na escrita da autora. Mas não é a pior trilogia como vi alguns dizerem, não mesmo.

Ah, destaco a tradução fiel as expressões das personagens, a Intrínseca está de parabéns. Além da diagramação agradável.

Capa, ficha técnica, sinopse:

50 tons de liberdade

Fifty shades freed

E L James
ISBN: 9788580572162
Editora: Intrínseca
Número de páginas: 544
Encadernação: Brochura
Formato: 16 X 23 cm
Ano Edição: 2012
Também em eBook

Sinopse

O que para Anastasia Steele e Christian Grey começou como uma paixão avassaladora e carregada de erotismo evoluiu, em um curto espaço de tempo, para um sentimento mais profundo que transformou a vida do casal. Ana sempre soube que amar um homem com tantas nuances seria complicado, mas nem ela nem Christian tinham noção das dificuldades que enfrentariam para ficar juntos.

Mesmo assim, os dois estão se acertando: Ana torna-se mais segura a cada dia, e Christian lentamente permite-se relaxar e confiar nela. Tudo leva a crer que eles estejam caminhando para um desfecho digno de conto de fadas. Mas ainda há contas a acertar com o passado.

Boa leitura.

See ya!

Rosana

Compre o livro na:

saraiva

 

Sobre a trilogia*

Fenômeno editorial que representa 25% do mercado americano de ficção adulta, a trilogia Cinquenta tons de cinza entra esta semana em pré-venda nas principais livrarias do país — o lançamento do primeiro livro será em 1° de agosto. Nos Estados Unidos, os resultados de venda já são tão eletrizantes quanto a narrativa do thriller romântico de E L James: somam-se mais de 10 milhões de cópias comercializadas em seis semanas, número que faz da série um dos maiores best-sellers de todos os tempos.

Estreia literária da inglesa E L James — uma ex-executiva da TV londrina, mãe de dois filhos adolescentes e recentemente eleita uma das 100 pessoas mais influentes do mundo pela revista Time —, a trilogia teve direitos de publicação adquiridos por 37 países em leilões disputadíssimos, vencido no Brasil pela Intrínseca. Os livros Cinquenta tons de cinza, Cinquenta tons mais escuros e Cinquenta tons de liberdade serão adaptados para o cinema pela Focus Features, da Universal Pictures — os direitos foram comprados por um valor recorde de US$5 milhões.

Recebido com entusiasmo pelos leitores estrangeiros e muito aguardado no Brasil, especialmente pelo público adulto feminino, Cinquenta tons de cinza terá tiragem inicial de 200 mil exemplares e lançamento simultâneo em e-book. A apimentada trilogia narra a relação entre uma recatada jovem de 22 anos, recém-egressa da universidade, e um enigmático (e atormentado) empresário. Estimulada a desafiar seus limites e preconceitos, Anastasia Steele contrapõe a irresistível atração que sente por Christian Grey — um bilionário muito charmoso, brilhante e, ao mesmo tempo, intimidante — às singulares exigências sexuais que ele impõe, a começar por um contrato assinado que permite a Grey o controle completo de sua vida.

O sucesso dos livros é tão estrondoso que, além de render inúmeras pautas na mídia e vídeos virais pela internet, ganhou destaque nos principais programas de humor americanos. O Saturday Night Live fez o público se divertir com a exibição de uma propaganda publicitária fictícia da loja Amazon para o Dia das Mães. O vídeo mostra pais e filhos surpreendendo suas mães com presentes, porém em momentos nada apropriados — enquanto elas leem Cinquenta tons de cinza em privacidade. Quem também brincou com o assunto foi a apresentadora de TV e humorista Ellen DeGeneres, que leu passagens de sexo bem descritivas, com chicotes, algemas e correntes nas mãos. Em entrevista à MTV americana, as estrelas Kristen Stewart e Charlize Theron reproduziram trechos calientes do livro, e Selena Gomez gravou a paródia “Cinquenta tons de azul”, na qual ela se apaixona por um pintor de paredes que faz o estilo rude.

A campanha de lançamento terá início em julho 2012, um mês antes da publicação do primeiro volume. A expectativa para o desempenho nacional é grande: Cinquenta tons de cinza é um livro diferente de tudo a que o público brasileiro já teve acesso. Nos três livros da série, a autora E L James constrói uma narrativa libertadora e totalmente viciante, que domina a atenção do leitor até a última linha — uma viagem de autodescoberta surpreendente.

*Fonte: site Intrínseca