Resisti aos e-readers por um bom tempo, primeiro pelos preços dos e-books nacionais. Mas a demora nos lançamentos de alguns livros me fizeram buscar os valores dos e-books originais e vi que compensavam e por isso resolvi me render e comprar um e-reader para não ficar preza ao notebook. Decidida pela compra e comecei uma pesquisa a respeito das duas marcas disponíveis no mercado nacional e depois de muito pensar e pesquisar resolvi optar pelo Kobo Glo. Então esse post será sobre minhas primeiras impressões e experiências com o aparelho.

O principal motivo por ter optado pelo Kobo por aceitar um número maior de formatos que o Kindle, penso que quanto maior a compatibilidade maior a viabilidade do produto. Outro fator importante foi a possibilidade de ampliar a memória do e-reader para até 32Gb por meio de cartão de memória e não depender de conexão wi-fi para acessar livros que não coloquei no aparelho.

Um fator importante também foi o design e as diversas cores oferecidas, ninguém gosta de um aparelho que tem uma aparência feia (eu pelo menos não) então optei não somente pelas descrições técnicas, mas também para a aparência física.

 

Quando recebi o pacote me apaixonei por aquela coisinha ainda na caixa e assim que abri já fui logo plugando no notebook para configurar meu aparelho. O primeiro passo foi a atualização dele, não levou mais do que 5 minutos, e depois já adicionei a senha da minha conexão Wi-fi de casa e comecei a acessar provas de e-books na livraria Kobo.

Li muita gente falando sobre não conseguir conectar internet do aparelho ou a demora para atualização, não tive nenhum desses problemas. Estou simplesmente apaixonada pela coisinha rosa aqui!

Outro ponto controverso é a opção ComfortLight, a famosa ‘luzinha’ que a versão Glo possui, li pessoas dizendo que o e-reader perde a sua lógica, que seria imitar papel, ao ter uma luz. Eu não vejo lógica é no argumento, achei um ótimo acessório para pessoas noturnas. Achei realmente mais agradável ler por ele do que com abajures ou luminárias, a espécie de luz (acho que é LED) não cansa a vista, pois ela incide diretamente na ‘página’ e não no leitor, o que torna a leitura confortável a qualquer hora.

Função iluminação ligada

Nas configurações dele você pode escolher quais dicionários instalar, a oferta é grande e não há custos adicionais aqueles da lista. Achei boa variedade de opções dos dicionários, variando desde o português aos bilíngues de inglês/outro idioma. Ainda nas configurações temos jogos e um navegador onde consegui acessar, sem problemas, Twitter e Facebook.

 

No Twitter me inquiriram a respeito da leitura de alguns formatos, então vou responder em separado sobre minha experiência com os mais perguntados.

MOBI: não sei se tive algum problema com o arquivo mas a capa do livro aparecia trocada na biblioteca, como se fosse outra capa e não a real do livro, mas a leitura foi normal como quando leio no Kindle for PC.

EPUB: foi o formato que não apresentou problemas em nenhum momento, ficou a imagem de capa certa na biblioteca e a leitura transcorre sem nenhum problema.

PDF: esse é um formato chato, seja para ler no computador ou nos e-readers, como os arquivos não são editáveis as funções do aparelho ficam limitadas, mas a leitura dele é boa, permite até que girar a ‘imagem’ para ficar na horizontal, ampliá-la e ir direcionando.

Não tive tempo ainda de testar outros formatos, mas caso teste e tenha algum contratempo apareça faço um post falando sobre.

O único ponto negativo que vi até agora foi o aplicativo para sincronizar os livros, o Desktop Kobo, comigo ele não funcionou e apresentou muitos erros. Para contornar esse problema preferi desinstalar o programa e fazer as sincronizações do pelo Calibre, que transforma os arquivos que não são EPUB para depois enviar para o dispositivo.

Do aparelho em si não tenho reclamações, espero não ter, mas se tiver algum problema relato a vocês. Não me recordo demais nada, mas caso queiram fazer alguma pergunta estou a disposição para respondê-las.

Thaís