Quando a Rô perguntou se eu queria escrever um texto sobre uma personagem feminina que tivesse me chamado a atenção por ser forte, determinada, dentre outras coisas, foi impossivel para mim, não pensar na personagem Carrie Mathison, da série de Televisão Homeland.

Eu preciso confessar que sou APAIXONADA por Homeland. É uma das melhores séries da televisão na atualidade. A história gira em torno de uma agente da CIA, Carrie, que trabalha na parte da inteligencia, mais especificamente com a parte do combate ao terrorismo. Ela passou oito anos no Afeganistão caçando um dos terroristas mais perigosos do mundo, Abu Nazir ( personagem fictício, mas que provavelmente personifica o Bin Laden). Aí, vocês pensam: Por que essa menina decidiu escrever sobre uma agente da CIA? Porque, pessoas, a Carrie sofre de um transtorno bipolar e, ainda assim, ocupa um grande cargo dentro do governo.

Carrie

Na nossa sociedade, essas doenças ainda são, ao meu ver, meio que um Tabu e eu achei incrível os escritores da série nos mostrarem que uma pessoa acometida dessa doença pode ser também, uma das pessoas mais inteligentes, dentro de um setor de inteligência de uma das agências mais poderosas do mundo. Como ela toma remédios para controlar a doença, nos primeiros episódios nós quase que nem notamos a sua condição. Para todos ela é inteligente e eficiente.

Contudo, mais pro meio da primeira temporada, ela vai começando a ter que lidar não só com o demonio de sua doença, mas também com o fato de que está se apaixonando por alguém em que ela não confia e que também pode vir a ser o novo terrorista número 1 a ser combatido pelos EUA, Nicholas Brody. Com o envolvimento cada vez mais pessoal da Carrie com o caso, ela começa a entrar em conflito consigo mesma e tem que provar para todos, inclusive para ela mesma, que independente de tudo o que estava acontecendo, dos “complôs” contra ela, de que estava certa. De que no final, não importa o que pensem e façam contra você, não duvide de si mesmo. Para uma mulher, isso é fundamental, afinal de contas, passamos gerações tendo que nos impor, e ainda temos que fazer isso para sermos ouvidas. E é isso que a Carrie faz.

Ela nos mostra que independemente de doenças ou não, se você é inteligente e determinado pode correr atrás do que você quer, lutar pelo que acredita. Ainda que tudo esteja contra e todos duvidem de você, é possível fazer com que as pessoas te vejam através disso.

Bom, não falei muita coisa pois não queria dar spoilers, mas espero que vocês tenham sentido uma cuiriosidade de saber mais sobre a história da Carrie e corram para assistir Homeland.

Fernanda Martinez