Olá!

O Cisne de Prata é o segundo de uma série de romances policiais escrito por Benjamim Black – pseudônimo do escritor irlandês John Banville. O primeiro livro é “O pecado de Christine”.

A trama é muito boa. Um romance policial que prende o leitor. Eu adoro esse gênero, o escritor é ótimo, mas em certas partes do livro ele enrola um pouco, descreve demais as personagens onde não precisaria, mas fica claro que o autor gosta de detalhar a sociedade irlandesa dos anos 50. Fazia tempo que eu não lia algo com o vocabulário tão bom. Não desmerecendo grandes autores norte-americanos, mas esse irlandês sabe usar as palavras 🙂 Ultimamente tenho tido a sorte de ler escritores maravilhosos e tramas surpreendentes.

O corpo de uma mulher aparece na costa de Dublin e a princípio é um suicídio. Mas o dr. Quirke que no livro anterior se meteu em encrenca por não deixar para lá a história, nesse livro acaba ficando em um dilema, ao receber o estranho pedido de um ex colega de faculdade , o marido da suposta suicida, de que não seja feita uma autópsia.

Não se preocupem por não ter lido o livro anterior, eu não li ainda e o autor durante essa história acaba por explicar o que houve antes. E não atrapalha o nosso entendimento da trama.

Como o dr. não deixa passar, acaba realizando o exame e descobre que não foi suicídio. A partir daí, várias personagens nos são apresentadas e qualquer uma pode ser culpada.

Laura Swan , a falecida, era sócia de Leslie White no salão de cabeleireiro ” O cisne de prata”. No decorrer do livro temos partes onde ela está falando como foi a infância pobre, os abusos que sofrera, até chegar a conhecer Leslie White e o dr. Kreutz . Leslie White é um inútil, golpista, casado , mas que trai a esposa com várias mulheres , além de gostar de usar drogas. Dr Kreutz é um médico para “curas espirituais” que na verdade não vale muita coisa também.

Por outro lado temos o patologista dr. Quirke, um alcoólatra em recuperação que tem uma filha, Phoebe, mas que passou a vida inteira achando que ele era seu tio e não seu pai. Um rolo só, mas que é bem explicadinho no livro.

Percebemos que muitas personagens estão ligadas de alguma maneira e assim entendemos os inúmeros detalhes que o autor dá o tempo todo. É adultério, golpe , regados a morfina e whiskey. Mas uma trama muito bem amarrada. E tudo começa com Billy Hunt , o marido de Laura Swan, que na verdade é Deirdre Hunt, mas um nome desses não combina com o Cisne de Prata, não é mesmo?

“Uma vez lá fora, Quirke caminhou até o rio no calor do meio-dia, lamentando o seu terno e chapéu pretos. Parou para fumar um cigarro, encostado no muro de granito do dique. A maré estava baixa e a lama azul da margem do leito do rio fedia; as gaivotas faziam círculos e davam gritos estridentes a sua volta. Ele estava satisfeito porque o inquérito terminara, mas ainda se sentia carregando um peso, uma estranha sensação: era como se tivesse esvaziado um reservatório só para descobrir que continuava tão pesado quanto antes” pág 63

Como já mencionei, o vocabulário do autor é demais. O projeto gráfico ( capa, diagramação etc) são de qualidade, a revisão e tradução estão ótimas também, a capa tem até relevo no nome do livro. E o melhor de tudo, a trama, fantástica. Recomendo.

Capa, ficha técnica e sinopse

O Cisne de Prata

The silver Swan

Benjamin Black
ISBN:9788532528100
Editora: Rocco
Número de páginas: 320
Encadernação: Brochura
Formato: 14 X 21 cm
Ano Edição: 2013
Tradutor : Talita M. Rodrigues

Sinopse

Traz de volta o patologista Garret Quirke, protagonista de O pecado de Christine, também lançado no Brasil pela Rocco, numa trama de mistério ambientada na Irlanda dos anos 1950. Procurado por um ex-colega de escola cuja mulher foi encontrada morta nas águas da baía de Dublin, Quirke acaba se envolvendo numa teia de assassinatos, adultério, vingança, sexo, drogas e de desdobramentos surpreendentes.

Boa leitura.

See ya!

Rosana