Once Upon a Time é uma das séries que eu mais amo no mundo, porque ela é S-E-N-S-A-C-I-O-N-A-L. Raramente eu falo de algo que eu gosto dessa forma, porque se tem uma coisa que eu sei, é que gosto é uma coisa que varia muito. Mas essa série merece ser elogiada, e muito. Muito mesmo.

A série se passa toda em Storybrook, uma cidade fictícia. É uma cidadezinha pequena, pacata com raros acontecimentos extraordinários. Todo mundo se conhece, cada um tem sua profissão e a vida segue sem muitas dificuldades. A questão é: os pacatos moradores de Storybrook são, na verdade, personagens de contos de fada amaldiçoados. Eles foram trazidos para o mundo real por causa da maldição, e aqui vivem vidas distintas das que eles tinham em sua terra encantada, com direito a novas personalidades e novos nomes. Um pequeno detalhe importante: eles não sabem que estão amaldiçoados. Consegue imaginar?

Só que Henry, um menino de dez anos, tem um livro de contos de fadas e sabe que todo mundo na cidade onde ele vive está sob o poder da maldição. E sabe também que a única forma de quebrar essa maldição é encontrar sua mãe biológica, Emma Swan, que foi tirada do mundo mágico antes que a maldição acontecesse. Assim, ele vai a procura de sua mãe, uma vez que ele é o único dos moradores que podem sair da cidade, e consegue convence-la a ajuda-lo. Só que, como qualquer pessoa normal, ela não acredita na história que o menino está contando, mas vai com ele mesmo assim, meio que como uma forma de compensar o fato dela tê-lo dado para a adoção logo que ele nasceu.

Os capítulos da primeira temporada sempre contam a história de um personagem diferente. Eu demorei para perceber isso, mas assim que eu percebi, ficava ansiosa procurando sinais que me dissessem de quem seria a história da vez. O mais legal é a forma nada convencional que os produtores da série usam para caracterizar nossos já conhecidos personagens de contos de fadas. O episódio normalmente é formado de flashbacks do passado encantado do personagem e cenas dele atualmente, na vida sob a maldição.

Ah, e para ficar melhor: Henry é filho de Regina, prefeita de Storybrook. Só que, na vida antiga ela era a rainha má que colocou a maldição em seu povo. Tudo isso por causa do seu ódio por Branca de Neve, que é mãe de Emma Swan. Como os personagens que estão sob a maldição permanecem os mesmos em idade, a Branca de Neve e Encantado, que na vida da maldição são uma professora e um cara com amnésia, tem a mesma idade que a filha deles. Sim, muito tenso.

A série já tem três temporadas e a cada nova temporada ela vai ficando melhor. Inacreditável como eles conseguiram juntar todos os contos de fada imagináveis, colocar de uma forma diferente e ainda por cima entrelaçar as histórias sem deixar nenhuma ponta solta e de uma forma que ainda por cima sempre nos surpreende.

Espero, de verdade, que gostem. Se você gosta de histórias fantásticas e o mundo de magia que os contos de fada proporcionam, vai amar. Se não gosta, vai passar a gostar quando assistir à série.

Tem o trailer aqui em baixo:

 

Em breve vou fazer um post sobre todos os personagens que aparecem na primeira temporada.

Espero que gostem!