Marian Keyes – A Estrela Mais Brilhante do Céu


Começo avisando que livros da Marian Keyes são difíceis de serem resenhados. Não me entenda mal: eles são maravilhosos. Espetaculares. Te prendem da primeira à última página e não te permite nenhum tipo de adivinhação sobre o que vem por aí. Você passa a história toda tentando chegar em uma conclusão, e só consegue isso quando o livro, de fato, se concluí. Marian não tem medo de escrever. Ela consegue adicionar detalhes fantásticos em uma narrativa completamente fixada na realidade do nosso mundo. Os personagens dela tem as personalidades mais marcantes que você possa imaginar, e raramente dois deles, em um mesmo livro, são parecidos. E é exatamente por isso que comentar sobre um livro da Keyes sem revelar alguma coisa importante ou sem deixar de lado algum detalhe que nos encante é praticamente impossível.

Em A Estrela Mais Brilhante do Céu, somos guiados pela narrativa por algo que não fazemos ideia do que seja. Sério, a única coisa que dá para achar é que é algum tipo de espírito. Não sabemos se bom ou mal ou o que ele tem a fazer ali, no número 66 da rua Star End. É nesse endereço que moram os personagens que vão nos cativar, fazer rir, nos entristecer e até mesmo nos irritar por todas as 598 páginas do livro. É assim que somos apresentados uma velhinha simpática e com uma sensibilidade maior que a da maior parte das pessoas, seu filho adotivo, que tem um programa de TV sobre jardinagem, e o cachorro esquisito que mora com ela. Conhecemos Andrei e Jan, dois irmãos de um país bem distinto da Irlanda que dividem o apartamento onde moram com Lydia, uma taxista cheia de opinião própria e muito, muito enfezada. Vemos pela primeira vez Matt e Maeve, um jovem casal com uma rotina específica e muito companheirismo e conhecemos também Katie, que trabalhava em uma empresa multimídia e recebia os artistas que sua empresa agenciava, levando-os para o hotel, para os shows e confirmando que eles chegariam vivos em seu próximo destino.

Sabemos que o narrador, nosso espírito que sabe o que cada personagem sente e nos conta como eles chegaram ali, tem uma missão e um prazo. A missão nós não sabemos muito bem o que é, só que vai mudar a vida de alguém ali. O prazo é de sessenta e um dias. E durante esses sessenta e um dias vamos conhecendo a vida de cada um desses personagens, tanto o passado deles, quanto o presente. E assim conhecemos também um pouquinho da personalidade, do caráter, dos traumas e das alegrias que cada um desses personagens tem. Vemos o amor, as relações que eles estabelecem, a procura por algo que os preencha.

Eu, particularmente, passei o livro apaixonada por Matt e Maeve, sua forma de conviver, seus traumas, o amor que eles tinham, e a dificuldade de estabelecer uma relação que os fizesse feliz por causa de um drama que os marcou três anos antes. Também me apaixonei por Katie e Conall, seu amadurecimento para certas coisas, sua paixão para outras, a vontade de estarem juntos e os problemas relacionados ao que eles eram antes de se conhecerem. Foi bom ver como esses dois casais foram amadurecendo ou mudando, e como eles tentam sobreviver à vida e suas nuances.

Eu me agarrei a esse livro e só soltei quando cheguei ao final. Ignorei as matérias da faculdade, a convivência social, pulei horas de almoço e me esqueci da noção de tempo por dois dias. Mas quando fechei o livro, fechei os olhos e deixei a sensação boa de terminar um livro que te surpreende me invadir. É um drama com suspense lindo, que vai te surpreender, te fazer rir, te deixar ansiosa e, por fim, colocar um sorriso no seu rosto.

CAPA, FICHA TÉCNICA, SINOPSE

A Estrela Mais Brilhante do Céu

The Brightest Star in the Sky
Marian Keyes
ISBN: 9788528615395
Editora: Bertrand
Número de páginas: 598
Encadernação: Brochura
Formato: 16 X 23 cm
Ano Edição: 1/2011

SINOPSE

Existe um misterioso espírito que paira sobre o edifício número 66 da Star Street, em Dublin, Irlanda. E esse espírito está em uma missão para mudar a vida de alguém. Em “A Estrela Mais Brilhante do Céu”, Marian Keyes demonstra mais uma vez sua técnica como uma dos grandes contadores de histórias da atualidade e sua vontade de ultrapassar limites na literatura.

Espero que gostem!

Compre o livro em um dos links abaixo e ajude o Livrólogos :)

Submarino

Saraiva

Fnac

Livraria da Travessa

Livraria da Folha

em eBook:

Iba

Previous Brian McGreevy - Hemlock Grove
Next The Big Bang Theory - The 43 Peculiarity

5 Comments

  1. Avatar
    Leticia Fernandez
    13/08/2013

    Esse livro parece ser fofo, mas ao mesmo tempo bem dramático. As capas da Marian sempre me azem querer ler, mas o tamanho dos livros me desanima, porque sempre tenho outros para ler. Mas me animei para ler esse!

  2. Avatar
    10/08/2013

    Eu já ia comentar: não conheço a autora…. Aí notei que conheço sim, de Melância UHEUAHEAUHEAU’
    Mas nunca li nada dela, não sei se é boa ou não. Mas pela resenha deu até curiosidade. UEAHUEAHU’ Vou procurar algo dela pra ler!

    Abraços!

  3. Avatar
    Mônica Oliveira
    06/08/2013

    Eu tenho alguns livros da Marian e DIGO: São Bons, mais vc tem que ter paciência..eu particularmente sofro com eles no início pois são inícios tediosos para mim, mais quando o livro se desenvolve vc fica torcendo e querendo o tal FINAL FELIZ.
    Ainda não li esse livro e meio que surpreendi com sua resenha..sabia do que se tratava por cima do livro, mais não pensei que ele lidaria com tantos personagens ao mesmo tempo..a Marian tem o dom de fazer livros assim que nos envolve e nos leve a conhecer diversos personagens e torcer por todos eles.

  4. Avatar
    06/08/2013

    Esse é um dos livros da Maryan que eu mais gostei, ele tem a parte engraçada, mas também tem uma dose de drama e tragédias e é escrito de uma maneira que como vc disse te prende do inicio ao fim, eu só descobri o narrador no fim mesmo kkk, fiquei com várias teorias durante toda leitura, mas não acertei. Esse é um livro que vale muito a pena ler. Gostei muito da resenha.
    Bjs

  5. Avatar
    Diandra Fernandes
    05/08/2013

    Nossa! amei sua resenha. Adoro os livros de Marian Keyes, li 4, e até agora meu favorito é férias.
    Mas com a historia de a estrela mais brilhante do céu eu consiga um outro xodó!
    Gosto de como a autora retrata os problemas nossos de cada dia com leveza e carisma. bju

Deixe um comentário! Quero saber o que achou do texto ;)