Ciao!

O livro da vez é A Lista do Nunca, de Koethi Zan. Já começo a resenha avisando: é um livro sensacional! Pensa em um suspense enorme que te faz querer cada página do livro sem nenhuma interrupção. É isso que acontece enquanto você lê esse thriller absurdamente envolvente.

O livro conta a história de Sarah e Jennifer, duas amigas que acabaram criando um hábito quando ainda eram bem novas: elas pensam em todas as maneiras existentes para evitar situações de perigo. Isso começou quando as duas meninas sofreram, juntas, um acidente trágico logo no início da adolescência. Como uma maneira de se prevenirem de outra experiência traumática, elas começam a escrever diversos tipos de situações: as formas mais comum de morte, a probabilidade de um acidente diferente acontecer (como, por exemplo, morrer porque um meteoro caiu do céu e as atingiram)… Só que, enquanto elas pesquisavam esses dados, elas se depararam com outras formas mais realistas e muito mais comuns do que elas imaginavam. Estupros, roubo, sequestros… Todas essas circunstâncias as fizeram procurar maneiras de evitar isso. Assim, elas acabam criando A Lista do Nunca: uma lista de regras a serem seguidas SEMPRE.

Assim, as duas meninas crescem se cercando dessas formas de escape e de prevenção na tentativa de não serem vítimas novamente. Até mesmo quando fazem 18 anos e, juntas, vão para a faculdade, elas não abrem mão de seus hábitos: verificar as fechaduras duas vezes, carregar o spray de pimenta na bolsa, evitar lugares desertos. Assim, de alguma forma, em companhia uma da outra e com suas técnicas de segurança, elas acabam por se sentir mais seguras. Só que, um dia, quando decidem ir pra uma festa da faculdade, o menos provável acontece: Sarah e Jennifer são sequestradas. E a partir daí elas vão viver um inferno que parece não ter fim.

A narrativa do livro é feita em primeira pessoa, e é na perspectiva de Sarah. O livro, na verdade, se passa dez anos depois de Sarah sair do cativeiro em que ficou por três anos. Ela agora é uma adulta, mas tem sua vida marcada pelos anos que passou trancafiada no porão de um louco. Ainda com suas manias, que agora ficam bem mais próximas de uma paranoia, Sarah se vê na pior das situações quando menos espera: seu sequestrador está prestes a ser liberto, uma vez que cumpriu dez anos com comportamento exemplar na prisão. O que ela menos quer é que o maníaco que a sequestro e torturou seja solto. Por isso, ela decide encontrar uma maneira de fazer com que ele pague pelo seu crime para sempre. Só que, para isso, ela vai precisar da ajuda de Tracy e Caroline, outras duas mulheres que foram sequestradas por Jack e viveram o mesmo inferno no porão. O problema é que nenhuma das duas quer se envolver nesse caso novamente. De uma maneira não convencional, as três acabam tendo uma certa segurança agora que estão fora de cativeiro, e suas duas “companheiras” dos dias sombrios no porão não querem arriscar isso. Vocês perceberam que Jennifer para de ser citada a partir do momento em que comecei a falar sobre o sequestro? Pois é, isso foi proposital. Ela acaba tendo um destino diferente das outras três mulheres… mas de maneira alguma melhor.

As cenas construídas pela autora são muito bem pensadas. Zoethi Zan conseguiu criar uma história cheia de links internos, com perguntas que são feitas no início e só são respondidas ao longo da trama. Ela não deixa nenhuma pergunta sem resposta, e constrói uma trama extremamente bem estruturada. Além de saber escrever, a autora claramente sabe construir um enredo em que nada seja previsível. Os personagens são muito bem construídos. É com lembrar que o livro é narrado na perspectiva de Sarah, o que significa que o que ela pensava de um personagem nem sempre se confirma como real.

Além de todos esses elementos que já marcam a leitura como imperdível, tem mais um detalhe que eu não posso deixar de comentar, que é a capacidade da autora de transportar as emoções por meio da narrativa. Você consegue sentir o nojo, a dor, o desespero. As descrições são feitas de modo que você fique imersa na história até a raiz dos cabelos, e só possa largar o livro quando ele chegar ao fim. A autora fez um ótimo trabalho de pesquisas, porque as descrições são perfeitamente aceitáveis, nenhuma excedendo o limite imposto pela realidade da história, e as cenas de ação são todas muito bem articuladas. Por isso, o livro acaba sendo a pedida perfeita para quem gosta de ter um pouco de emoção e gosta de encontrar em uma história de ficção a realidade com a qual estamos cercados. Pedida perfeita também pra você que, por um acaso, nunca se aventurou nas páginas de um livro do estilo. A Lista do Nunca é impecável, uma das minhas melhores leituras do ano, e com certeza está no topo da minha lista de indicações.

capa, ficha técnica e sinopse

A Lista do Nunca

Zoethi Zan
ISBN: 9788565530408
Editora:  Paralela
Formato: 23×16 cm
Número de páginas: 272
Formato: brochura
Edição: 2013

sinopse

Depois de um acidente de carro que sofreram quando ainda tinham dez anos, Sarah e Jennifer, amigas inseparáveis, passaram anos escrevendo o que chamaram de Lista do Nunca: uma lista de ações e atitudes que deveriam ser evitadas, a qualquer custo, para que se mantivessem sãs e salvas. Numa noite, no entanto, ao entrarem em um táxi, o destino das duas garotas as levou a um lugar que certamente não considerariam nem um pouco seguro. Sequestradas por um homem frio e adepto do sadismo, elas ficam acorrentadas em um porão com mais duas garotas por três anos. Dez anos depois de conseguir fugir, Sarah ainda tenta levar uma vida normal. Seu sequestrador, porém, está prestes a conseguir uma condicional e mais do que preparar um belo discurso de vítima, Sarah sente que este é o momento de agir. Para isso, vai enfrentar seus terríveis traumas em busca de uma história que nunca fora revelada.

Boa leitura!

Compre o livro em um dos links abaixo e ajude o Livrólogos 🙂

Submarino

Saraiva

Fnac

Livraria da Travessa

Livraria da Folha