Não parece se passaram somente 4 meses desde a Season Finale da quarta temporada, um final de temporada cheio de problemas por conta das mudanças necessárias de roteiro que precisaram acontecer quando Cory Monteith se internou numa clinica de reabilitação. Os roteiristas tiveram que dar um novo rumo para a série naquele finzinho de temporada e isso gerou grandes problemas na continuidade na série, que estava tendo até então uma temporada que me agradava bastante.

Agora como disse no meu post geral sobre a série esse seria o episódio para nos convencer que Glee pode existir sem Finn, que a história consegue perder seu protagonista e mesmo assim não perder sua essência. E foi num duplo episódio especial sobre os Beatles que Glee voltou para seu quinto ano e com todos os holofotes voltados para a série e o que aconteceria dali em diante.

Li muitas críticas ao episódio, pessoas reclamando das músicas e tudo mais, mas realmente Beatles é uma daquelas bandas que ou as pessoas amam ou odeiam e o sentimento de desagrado pela escolha da banda é compreensível. Mas eu realmente gostei, e muito, de ambos os episódios e também das versões das canções, principalmente Yesterday, na voz de Lea, que abriu o episódio e nos fez identificar com a letra e o que iríamos passar nos minutos seguintes.

Ambos os episódios tiveram um foco menor no drama, que virá com tudo no episódio três em que trataram da morte do personagem Finn. O primeiro episódios me fez cair de amores pelo casal Artie e Kitty, que começa como parecendo que vai ter um fim antes mesmo de engrenar e no fim temos uma cena super fofa. As cenas dos dois foram fofas e garantiram duas músicas e tivemos “You’ve Got to Hide Your Love Away” e “Drive My Car”.

Quem passou a temporada passada inteira num momento sem noção e voltou para essa da mesma forma foi Tina, que resolveu destilar o veneno no episódio um e tentar melar o romance de Artie por causa de Kitty manter o namoro as escondidas. E no segundo com a história ao estilo Carrie, a Estranha. E Kitty mais uma vez mostrando ser superior e até trocando de vestido com ela, a versão de “Hey Jude” ficou boa!

Sue agora é a diretora do colégio, e o melhor desse plot é realmente ver Figgins como faxineiro e berrando que Sue é um MONSTRO!!! Em câmera lenta? Muito melhor! Sue ainda coloca outra líder de torcida para o papel de vilã contra o Glee Club.

Mas dos dois episódios o que realmente marcou foi a cena final do primeiro episódio, que ao som de “All You Need Is Love”, tivemos o pedido de casamento de Blaine. Naquele momento, no pé da escada, eu olhava para todos os personagens que lá estavam e ficava me perguntando o que eu sabia responder “onde está Finn?”. Porque se tinha um momento que ele nunca perderia esse seria o momento em que Bleine pede Kurt em casamento. Essa foi realmente a cena que me fez cair na real e perceber que Glee não será mais a mesma, que ela vai seguir em frente mas que nada é mais como antes, mesmo para mim que não tinha amor pelo personagem de Cory ainda não sei o que será da série.