por Beta

Você vai à Bienal do Livro? Devia!

bienal rj

 

Bienal do Livro – Rio 2013

 

Paraíso: local onde você se sente em paz consigo mesmo.

As diversas religiões e doutrinas apresentam explicações mais detalhadas e aprofundadas, mas permitam que eu opte aqui por uma definição um pouco mais simplista e bastante subjetiva.

 

Locais onde existem livros sempre me trouxeram paz. Desde que eu tinha sete anos e fui a uma livraria escolher o livro que doaria para a biblioteca da escola. Acho que aquele segundo andar da livraria (que já fechou) me mostrou uma das minhas opções de paraíso. A partir disso, livrarias e bibliotecas sempre me acalmaram, acalentaram, me deixaram felizes ou me incentivaram a fazer descobertas ou planos… Seja do próximo a ler ou do próximo a comprar. E claro que uma das consequências disso foi a criação do Literatura de Mulherzinha  , que está rumo ao 10º ano firme e forte!

 

Pois bem, no ano passado, ao visitar a Bienal do Livro no Rio de Janeiro  descobri que meu paraíso estava lotado. Muito lotado. Mas não reclamei. Foi uma das experiências mais marcantes da minha vida. Fiz algo totalmente atípico para mim – uma viagem bate-e-volta – mas valeu a pena. Cada minuto.

panda

#madrehooligan foi junto porque sabia que uma grande chance de eu querer morar na Bienal para sempre (por mais impossível que seja).

 

Livros de todos os jeitos, tamanhos, cores, preços, origens. Minhas tristezas eram não ter dinheiro nem espaço para trazer tudo comigo. Neste ano, não poderei ir (resumindo: não consegui me organizar o suficiente para viajar), mas estou dando uns pitacos/dicas para quem vai viver a experiência. Não estão em ordem de importância, mas de lembrança.

 

1. Dinheiro: Sim, espero que você tenha feito uma reserva. Porque aquela meta ideal de “só vou pra olhar” não vai funcionar. Você vai olhar e vai achar algo que queira. E vai ficar com raiva se não puder comprar.

 

2. Tênis: O que significa aqui – calçado confortável. Você vai andar até cansar. E depois, vai andar mais ainda. Se não for com um calçado confortável, não vai aguentar. Ou vai sofrer.Ninguém merece.

 

3. Mala: A inocente aqui achou que uma mochila dava conta. Claro que não. Leve uma malinha ou compartilhe com os amigos para guardar as compras enquanto busca por coisas novas.

 

4. “Guia”: Para os marinheiros de primeira, segunda, terceira… viagem (especialmente os que não moram na cidade) ajuda MUITO ter um guia. De preferência alguém que já esteve antes no evento ou que tenha melhor noção de espaço. Chegar lá com um roteiro planejado ajuda muito. Melhor ter uma base para fazer mudanças do que ficar andando para lá e para cá e perder algo.

 

5. Lista de compras: Mesmo que você não a respeite (atire a primeira pedra quem conseguiu resistir às tentações com frieza militar), te ajuda a manter o raciocínio, a não se perder no passeio e até mesmo a incluir as novidades que te interessarem.

 

6. Grupo de amigos: Sinceramente, não queira ir ao estilo “debravador solitário”, ir com amigos é muito mais divertido. Ainda mais porque você pode compartilhar opiniões sobre as dúvidas, pode descobrir imprevistos e as fotos ficam muito mais divertidas.

 

7. Paciência: Vai ter filas para todos os lados, tamanhos e gostos. Não vai adiantar estressar – só vai servir para estragar a sua experiência. Então prepare a paciência e o condicionamento físico para dar conta da maratona. No ano passado, não consegui entrar no stand da Record nem tirar foto no Trono que a Leya colocou no Stand, porque a fila era a perder de vista.

 

8. Lanchinhos: Levar uma merenda é fundamental porque não somos de aço e o corpo precisa de uma pausa para se alimentar e hidratar. E oferece opção ao que já é vendido no local.

 

9. Consulte a programação: As editoras estão trazendo autores e promovendo vários eventos. Fique atento. Vai que aquele autor ou aquela autora que você ama os livros estava lá no mesmo dia e você perdeu! Não pode, né?

 

10. Divirta-se!: Para quem curte ler, gosta de ler, ama ler, não vive sem ler, a Bienal é o paraíso. Ninguém espera que o paraíso seja chato, mas traga a incrível sensação de estar em paz e feliz consigo mesmo. Eu consegui isso no ano passado, em meio ao caos, multidão, cansada, com sacolas e marcadores de livros, cercada de pessoas queridas no evento no Rio de Janeiro. Espero sinceramente que vocês também sintam o mesmo que eu senti. E o melhor: compartilhem com outras pessoas. Acho que ninguém gostaria de ficar sozinho no paraíso.

 

Boa Bienal de Sampa para quem vai!

Tentem não matar de inveja as pessoas que não puderam ir, ok?

E me aguardem porque ano que vem, estarei de volta, empolgada, feliz, com malinha e tudo!

 

 

Bacci!!!

Beta