Avaliação

No romance, o autor segue as pistas do que restou de lembranças a um detetive particular, evocando o tema que o consagrou: a memória, em constante embate contra o esquecimento.

8
Nota
Por Valery

Confira a resenha de Uma rua de Roma, do autor Patrick Modiano, Nobel de Literatura de 2014.

Esta é a história de Guy Roland um detetive particular que sofre de amnésia total durante oito anos de sua vida e assim que fica sem emprego resolve ir em busca de seu passado contando com a ajuda de todos aqueles que o rodeiam para refazer seus passos e desvendar sua história.  Em dados momentos ele não consegue juntar os fatos, parece que esta faltando alguma coisa fundamental, e não conformado com esta situação, sai em busca de descobrir o que ocorreu durante o acidente que contribuiu para sua perda de memória.

Por exemplo, ele não sabe de onde tira o dinheiro que financia suas viagens, uma vez que acredita ser pobre e ter renda bem modesta, mas ainda assim, sabe que pode recorrer ao banco e não sabe como isso acontece.

Em todos os lugares que frequenta Guy Roland é bem recebido, porém percebe que não tem a credibilidade que de fato é necessária e que parece que tinha antes, sendo assim sai em busca da verdade com redobrada confiança e vontade, porém, ele mesmo dificulta sua própria investigação, e por isso parecendo não querer tanto assim, desvendar a sua história. Ele encontra pistas do caso nas coisas  e formas mais inusitadas e conforme vai juntando cada uma delas, ele mesmo as inutiliza, pois não faz a investigação do jeito certo, evita fazer as perguntas pertinentes e as justificativas para isso são as mais banais possíveis.

Ao entrar nessa busca ela acaba com um misterioso desaparecimento nas mãos, o do secretário Pedro McEvoy que também parece ter uma outra identidade no nome de Jimmy Stern, um comerciante desaparecido no ano de 1940, assim como sua esposa Denise Coudreuse,  uma modelo que precisava de um visto permanente. Envolto neste mistério enquanto procurava desvendar sua identidade, ele vai descobrindo algo muito maior do que se pode imaginar.

O livro é bem trabalhado, a escrita do autor prende a atenção desde o inicio por conta do mistério que envolve a identidade do protagonista. Ele viaja por lugares belíssimos e é rico em detalhes, tornando assim seu trabalho um dos melhores que já li.

Capa, ficha técnica, sinopse

uma rua de roma - patrick modiano

Uma rua de Roma

Patrick Modiano

ISBN: 9788532502551
Editora: Rocco
Número de páginas: 224
Encadernação: Brochura
Formato: 14 X 20 cm
Ano Edição: 2014
Tradução: Herbert Daniel E Cláudio Mesquita

Também em eBook

Sinopse

Publicado originalmente em 1978, Uma rua de Roma recebeu a um só tempo o Grande Prêmio de Romance da Academia Francesa e o Goncourt, mais importante prêmio literário de língua francesa, assegurando a consagração do jovem Patrick Modiano. No romance, o autor segue as pistas do que restou de lembranças a um detetive particular, evocando o tema que o consagrou: a memória, em constante embate contra o esquecimento.

Guy Roland é um detetive particular que sofre de amnésia há quinze anos. Na tentativa de elucidar o segredo de sua identidade, ele sai em busca de pessoas que possam lhe oferecer pistas acerca de seu passado e das circunstâncias que causaram seu problema. Atuando como uma espécie de detetive de si mesmo, ele percorre ruas obscuras e bares enfumaçados de Roma ou de Bora-Bora, em sua incansável investigação.

Modiano se apropria de alguns dos recursos narrativos da literatura e do film noir, retrabalhando-os com rara inteligência na insólita busca do protagonista pela própria identidade. O protagonista se insere em ambientes característicos da narrativa policial: ruas mal-iluminadas, bares enfumaçados, apartamentos decadentes. Ele investiga, mas não busca provas – quer apenas o encontro com testemunhas que iluminem, de alguma forma, o seu passado vago e indefinido. O resultado é uma narrativa labiríntica, na qual está em jogo o valor da memória e do indivíduo.

Boa leitura