Avaliação

Bowie teve muitas fases, e estava sempre se reinventando, um camaleão.

6
Nota

Olá

Confira a resenha do livro Bowie – A biografia , da autora Wendy Leigh, publicado pela editora BestSeller.

Sou super  fã de Rock ‘n Roll e adoro uma biografia, mas principalmente as que são voltadas mais para música e algumas curiosidades .

No caso dessa autora, ela focou mais na vida amorosa e sexual do que em outros fatos muito mais interessantes ou sobre a música de Bowie, que fazem diferença.

Como fã, não poderia perder a exposição que teve no Brasil. Em 2014 fui a exposição que o MIS em SP fez sobre Bowie e foi uma experiência fantástica, uma imersão na vida e obra, no processo criativo. Havia roupas, anotações, música, fotos e tudo que se possa imaginar.

Infelizmente perdemos o camaleão em 10 de janeiro deste ano. O livro é de 2014.

Bowie teve muitas fases, e estava sempre se reinventando, um camaleão. E uma das mais criativas foi onde seu alter ego Ziggy Stardust estava em cena, e quase nada sobre isso foi abordado no livro. Uma pena.

Veja o vídeo

Fica claro que o público que Leigh quis atingir não é o que aprecia, por exemplo,  a voz de Bowie como algo fora do comum, um instrumento a parte em suas composições inesquecíveis.

Por outro lado há um desfile das conquistas amorosas e o lado bissexual é bem explorado, como a história de Angie , primeira esposa de Bowie, onde ambos estavam  “namorando” o mesmo cara, e rumores sobre Mick Jagger que Bowie sempre negou e disse que eram amigos ( quem conhece a música Angie está familiarizado com essa história), e também sobre Debbie Harry ( Blondie) e uma ex de Elvis que não quiseram  nada com Bowie.

Eu prefiro ter em foco a parceria de Jagger e Bowie em “Dancing in the Street” , que apesar do vídeo ser meio tosquinho é muito a “cara dos anos 80”

Leigh também aborda fatos sobre a família , principalmente a esquizofrenia e suicídio de seu meio-irmão. Também fala da mãe que era emocionalmente distante, e por outro lado, a sempre presente assistente pessoal Coco Schwab, sua salvadora,amiga, e figura materna e claro, Iman, a esposa e grande amor dele. 

Ela frisa o afastamento de Bowie de seu meio-irmão,  o medo de desenvolver esquizofrenia e, como esse medo também foi um diferencial em sua criatividade.

A música “Jump They Say”, fala de suicídio, mas a autora sequer menciona.

E há algumas fotos na parte central do livro, com momentos marcantes como ele atuando em Labirinto – a magia do tempo, Fome de viver, com seu grande amor Iman, com Coco Schwab, com Liz Taylor e outras fotos.

O camaleão David Bowie, um dos maiores ícones da história recente,  foi cantor, compositor, ator ( e bom) e deixa saudade, mas sua obra fica para os fãs e futuras gerações.

Para finalizar, o video de “As the World falls Down” , para reelembrar Bowie como Jareth, o Rei dos Duendes,  em Labirinto e apreciar a linda música.

Como fã, o livro não correspondeu muito as minhas expectativas. Mas não deixa de ser um livro bem elaborado.

A capa é bem bonita, com efeito metalizado, diagramação e papel agradáveis à leitura.

Capa, ficha técnica, sinopse

bowie

Bowie – A biografia

Bowie

Wendy Leigh

 

ISBN: 9788576849827
Editora: BestSeller
Número de páginas: 322
Encadernação: Brochura
Formato: 16 X 23 cm
Ano Edição: 2016

SINOPSE

Em Bowie, a biógrafa Wendy Leigh revela para o público facetas desconhecidas do recém-falecido ídolo pop David Bowie

Leigh traça toda a trajetória do músico, desde a infância em sua família problemática, passando pela juventude desvairada em busca do sucesso, até atingir o estrelato e se tornar uma entidade única e inigualável da cultura popular contemporânea. Ao analisar a pluralidade de personagens que o cantor incorporou, examinando sua recusa a se submeter a qualquer padrão sexual, a autora também aponta para uma falta de ortodoxia sem precedentes, chave para a desconstrução de tabus e estopim de uma revolução dos costumes de gênero. Descritas fielmente neste livro, a subversão e a criatividade, algumas das características mais marcantes do astro britânico, não apenas o destacam de seus colegas de profissão, mas são responsáveis pelo charme de Bowie, que cativou milhões de fãs em todo o mundo. Este é o registro mais íntimo e revelador da vida de um dos maiores ícones da história recente. Bowie é, portanto, uma leitura indispensável para todos aqueles que ainda não se contentaram em dizer adeus a David.

Boa leitura

See ya!

Rosana Gutierrez