BASTIDORES LITERÁRIOS – Então Você Quer Se Tornar Um Escritor… Profissional?


Por Gianpaolo Celli, consultor do ALITERAÇÃO SERVIÇOS EDITORIAIS

O que uma vez mais me levou a escrever a respeito deste tema foi porque no início do segundo semestre um escritor entrou em contato conosco querendo contratar o serviço de Análise Crítica do Aliteração. O problema? FALA SÉRIO! A obra não estava acabada!

Comunicamos que, apesar de termos o serviço de Análise de Primeiro Capítulo (afinal, é ele que deve cativar o leitor), para que a Análise Crítica seja efetiva, temos de fazer a leitura do texto acabado. Não um rascunho, uma síntese, nem o resumo do que será escrito, pois o conceito por trás desta leitura é exatamente ver se o escritor conseguiu passar a mensagem que ele queria da melhor maneira possível, e só como texto acabado isso é possível!

Combinamos então que ele terminaria de escrever e entraria em contato no início deste mês.

Bom, passou a Bienal e começou setembro e nada do contato. E FALA SÉRIO! Posso dizer que espero que, ao invés de simplesmente haver desistido do serviço e tentado algo mais simples como a autopublicação (que, apesar de mais caro é mais simples, pois como são pagas, as editoras (ou seriam gráficas?) aceitam qualquer coisa), ele ainda não tenha conseguido terminar ou mesmo achado outros profissionais para fazer essa Leitura, essencial caso o escritor busque se profissionalizar.

Sei que muita gente vai querer me criticar por falar mal das editoras por demanda, que inclusive alguns renomados profissionais do mercado internacional dizem ser uma grande oportunidade de se começar. Elas são sim uma boa opção para quem está começando e sim, houve autores que começaram desse modo! Assim como outros começaram escrevendo fanfics (para quem não sabe, é uma ficção escrita pelo fã usando os personagens e o mundo de uma história que ele gosta) ou lançando sua história em blogs e mais atualmente na Amazon, no Wattpad e outras ferramentas de publicação online.

FALA SÉRIO! Não é esse o ponto.

A questão, e na realidade isso serve para praticamente qualquer coisa, é que só uma pequena porcentagem de quem tenta se lançar como escritor efetivamente consegue. E isso acontece porque só essa mesma pequena porcentagem trabalha de uma maneira profissional.

Eu mesmo já comentei mais de uma vez, que segundo as próprias editoras, 95% do material que chega para elas não tem o nível necessário para ser publicado. E se não é bom para um profissional que entende o mercado, fora raras exceções, também não será só por ser publicado de maneira independente, seja em livro físico, em formato de e-book ou mesmo na internet.

Tenho consciência de que eu mesmo já critiquei muito as próprias editoras e a falta de entusiasmo com que elas tratam o autor nacional, em especial em relação à propaganda e marketing, tratando o assunto quase como se eles estivessem fazendo um favor ao autor em publicar.

Mesmo assim tem-se que concordar que elas ainda são dirigidas por profissionais que conhecem o mercado mais do que a maioria dos escritores, em especial os iniciantes. E para estes profissionais apostarem no autor eles têm de ver profissionalismo no mesmo! E a diferença, como eu mesmo já comentei, é que o amador quer ter seu ego acariciado, estufar o peito e dizer “eu sou escritor”, ao invés de buscar aprender e se desenvolver sempre, de modo a pavimentar uma carreira.

Porque apesar de quererem que o escritor estoure na primeira publicação, as editoras sabem que isso é raro, e que, portanto, o autor deve lançar periodicamente, granjeando a simpatia de seus fãs e aumentando seu público (pois FALA SÉRIO! Qualquer profissional de mercado sabe que cada livro lançado chama a atenção para os demais do autor) e no momento que a editora dá o prazo para um segundo livro, o hobby vira obrigação e a coisa muda de figura.

Então, ao invés de ficar choramingando porque um projeto foi recusado, o profissional deve descobrir a razão de seus textos não estarem sendo aceitos para trabalhá-los e a Analise Crítica funciona exatamente para isso.

Assim, se você quer se profissionalizar, como o mercado está fazendo, então nos procure. Temos quase 40 anos de mercado editorial, como escritores, organizadores e editores, e podemos fazer a diferença que falta para a PUBLICAÇÃO DO SEU LIVRO! Para a determinação DE SUA CARREIRA LITERÁRIA!

Previous Lançamentos @harlequinbrasil Agosto e setembro
Next Gregg Hurwitz - Órfão X #resenha @PlanetaLivrosBR

7 Comments

  1. 15/09/2016

    Obrigado Rosana.

  2. 15/09/2016

    Oi! Vc havia colocado no local errado. O link fica associado ao seu nome. Se clicar, direciona para o seu site/texto. Se coloca no corpo do comentário, vai p spam. E muitas vezes, o qdo tiro do spam, ele apaga o texto com link, para proteger, como se fosse um link “obscuro” 🙂

  3. 14/09/2016

    Olá Gianpaolo, estou esperando a conclusão do livro para então buscar estes serviços.

  4. 14/09/2016

    Olá Rosana, seu comentário é por que coloquei no local errado, ou por que não coloquei?

    Se não me engano, fiz isto (“local indicado para por o link, ao escrever seu nome, email, site”), e coloquei também no corpo da mensagem, mas não apareceu em nenhum lugar para a leitura de quem ler os comentários: ( .

  5. 11/09/2016

    Bom dia Lucas,
    Pelo seu comentário, a impressão que dá é que alternar memórias (passado) e ação (presente) seria mesmo ideal para mostrar leitor o desenvolvimento do personagem sem deixar o que está acontecendo para trás. Mesmo assim essa é uma colocação em cima de poucas linhas colocadas por você mesmo. Esse seria uma caso para serviços como uma Leitura Crítica ou um Coaching Literário.
    Caso queira mais informações a respeito, dê uma olhada na página do Aliteração (www.aliteracao.tk)

  6. 08/09/2016

    OI Lucas, coloque sempre o link que vc quer divulgar do seu trabalho, no local indicado para por o link, ao escrever seu nome, email, site 🙂

  7. 07/09/2016

    Interessante. Me vejo na situação citada acima. Estou escrevendo um livro que hoje, publicado no WattPad está no capítulo 05 e, em casa, estou terminando o sexto.
    O livro te como título A Cidade, que conta a história de vida de um advogado que é ateu e depois de alguns acontecimentos, se vê em uma espécie de vilarejo isolado do mundo sem telefone e sem internet. Neste local, acaba conversando muito com o caseiro que defende a existência de Deus na ciência e na espiritualidade.

    A história, fala de ateísmo, amor e perdão. Mas até o capítulo 04 e boa parte do capítulo 05, é contada a história de vida do advogado, como surgiu o seu ateísmo que é um processo e não algo do tipo dormir cristão e negar a Cristo ao acordar. Estou com dúvidas de como, já no primeiro capítulo direcionar o conteúdo para fazer jus ao título. Pensei em cenas intercaladas entre o futuro e o presente para balancear o texto mas não sei se seria o mais indicado.

Deixe um comentário! Quero saber o que achou do texto ;)