[Bastidores literários] O escritor deve ler?


Eu acho interessante como assuntos chegam em ondas, surgindo em vários locais ao mesmo tempo. Foi o que aconteceu com essa questão da necessidade de leitura do escritor. Na mesma semana um escritor de quem eu fazia leitura critica questionou, ao mesmo tempo em que eu vi alguns profissionais comentarem a respeito e o assunto surgiu em alguns grupos nas redes sociais. E FALA SÉRIO! Tudo ao mesmo tempo, mostrando que realmente vale a pena voltar a esse assunto. Vou discorrer um pouco e respeito, desde o que imagino ser ‘o início’.

O início, caso você esteja se perguntando, é a questão O ESCRITOR DEVE LER? A resposta a essa questão é SIM! Uma pessoa que escreve e não lê é um vendedor que não acredita no produto que vende. Ou ainda que tenta vender, porque se não acredita a possibilidade de “vender”, que no caso seria publicar, é mínima. Ainda sobre essa questão é que se o escritor não lê, ele não só terá de “descobrir a roda sozinho”, pois ignorará artifícios que os outros já conhecem há muito para resolução de problemas na história, como também achará que está inventando algo novo e na verdade está usando um artifício que já é tão conhecido que chega a ser clichê. E FALA SÉRIO! Aí que ele não venderá a história dele mesmo!

Outro ponto é: O ESCRITOR DEVE LER ENQUANTO ESTÁ ESCREVENDO? Uma vez mais a resposta é SIM! Tendo em vista que um escritor, ao menos um profissional, está sempre escrevendo. FALA SÉRIO! Como já ouvi mais de uma vez, de diversos profissionais da escrita, o fim de um livro (e eu falarei mais a respeito desse assunto mais tarde) é simplesmente o começo de outro, de modo que se o escritor pensar que ele só lerá quando não estiver escrevendo, ou ele não escreverá nunca ou não lerá nunca.

Mesmo assim fica a questão de O QUE LER? A resposta aqui é DE TUDO UM POUCO! Inclusive, ‘de tudo um pouco’ por diversas razões. Eu me recordo quando tinha uma coluna num site de esoterismo a respeito de magia e mitologia comparada e me apaixonei pela obra de Campbell. Como comecei a ler um livro dele atrás do outro, logo percebi que não só estava me baseando muito na obra dele, como também comecei a escrever no estilo dele. Assim, terminada uma das obras, comecei a variar, para conseguir outros pontos de vista a respeito do assunto. O mesmo deve acontecer com o escritor de ficção. Ele deve ler não somente o estilo de escreve, mas e principalmente tudo um pouco, pois só assim criará algo único e seu. Imagine um escritor de fantasia que só lê fantasia, ou um escritor de terror que só lê terror. Existe uma grande chance não só do estilo dele começar a se confundir com o dos autores que ele está lendo, como também a temática das histórias, que começarão a parecer “mais do mesmo”. FALA SÉRIO! Eu vi muito disso acontecer com autores que vieram do RPG que, baseados nas obras de Tolkien, faziam elfos e anões que, por serem indiretamente influenciados, eram sempre os mesmos: Anões que, por razão nenhuma eram ranzinzas como o Gimli, e elfos, que no caso eram diferentes de Legolas, mas iguais a muitos outros mostrados nO Senhor dos Anéis. Aqueles com um complexo de superioridade irritante, e que nas aventuras e nas histórias, por alguma razão desconhecida aceitavam estar num grupo muitas vezes liderado por um humano. Assim, uma vez mais teremos obras cheias de clichês e difíceis de serem aceitas pelas editoras.

É evidente que se deve ter o cuidado de não sair copiando tudo o que se lê, mas ler de tudo fará com que o escritor, ao menos o profissional, entre em contato com personagens e tramas diferentes do que ele mesmo está acostumado a escrever, e esse contato será para ele como uma brisa ou aragem que trará novos ares a suas ideias, a sua criatividade. Tente e verá!

Previous María Dueñas - O tempo entre costuras @planetalivrosbr #resenha
Next [Bastidores Literários] Um pouco a respeito de novelas e romances, roteiristas e escritores brasileiros

1 Comment

  1. 15/03/2018

    Ri bastante com os FALA SÉRIO, até pq é meio que óbvio, mas infelizmente nem todo escritor lê, muito menos de tudo. Quando voce fala sobre não copiar, eu gosto de frisar que eu leio justamente para não copiar rs. Certa vez quis escrever uma história e acabei lendo um livro super parecido com o que pensava em escrever. Modifiquei a história toda e ela está prestes a ser publicada.
    Adorei o texto, realmente temos que ler de tudo um pouco para ampliar nossos horizontes e estimular nossa criatividade.
    Abração!!

    http://www.cariocadointerior.com.br

Deixe um comentário! Quero saber o que achou do texto ;)