Olá!

A resenha de hoje é do  livro A extraordinária viagem: faquir que ficou preso em um armário Ikea, de Romain Puértolas.

Já falei em outros posts , mas repito, gosto muito de livros e cinema franceses e esse não foi diferente. A ed Record enviou esse livro para os parceiros e foi uma agradável leitura.

Quem não sabe, Ikea é uma loja sueca, mas tem no mundo todo, não sei porque aqui não tem ainda. Eles vendem móveis que você mesmo compra e monta e pode decorar a casa toda. Não são caros e são até bonitos. Há muitos filmes franceses que citam e até fazem humor com essa loja.

Este romance nos mostra como uma pessoa pode se transformar através da reflexão sobre as experiências vividas.

Quando muito jovem, o indiano Ajatashatru, começou a fazer pequenos números de mágica para se livrar da fome. Começou a atrair a atenção dos habitantes da aldeia onde morava.Foi, por isso, convidado por um marajá, Lhogro Singh Lhe,a morar no palácio porque Ajatashatru se dizia faquir. Foi contratado como faquir-bufão para divertir a corte.

“Eu vivia na mentira, na falsidade, na enganação… e essa enganação logo se virou contra mim.”

Ele fingia alimentar-se de parafusos e pregos enferrujados, mas quando foi pego roubando comida na cozinha foi despedido, e para não ser morto, teve de prestar serviços em escolas fazendo trabalho de prevenção contra roubos e delinquência com as crianças.

“Eu não me alimentava de parafusos, mas de frango e camarão como todo mundo.”

Vendo-se sem dinheiro, retornou às trapaças, e acabou convencendo as pessoas de sua aldeia que deveria comprar uma cama de pregos. Todos colaboraram, com o dinheiro da passagem para a França, embora ficassem endividados.

Desembarcou na França e foi direto para uma loja de departamento para comprar a cama. Levou na mala apenas uma nota de cem euros falsos impressos de um lado só.

No táxi trapaceou o motorista, Gustave, o que lhe rendeu inusitadas fugas para se livrar do inimigo. Na loja, ele se escondeu dentro de um armário para não ser visto pelos funcionários, pois havia feito o pedido da cama que só chegaria à loja no dia seguinte. Antes de entrar no armário para pernoitar,o faquir sente fome; dirige-se ao restaurante da loja, entra na fila atrás de uma bela loura. Usa de um truque para obter dinheiro, e a moça cai em sua armadilha.

“Marie tinha um rosto de boneca de porcelana que exalava um pouco aquela humanidade que ele perdera para sobreviver…”

Algo inusitado aconteceu. Antes de sair do armário, este foi despachado para a Inglaterra. O caminhão foi interceptado pela polícia inglesa, e Simpson, o investigador, deduzindo que o intruso era da Espanha deporta-o para Barcelona. De lá para a Itália.Na viagem,na escuridão do porão, junto com animais de estimação e outros pertences,o faquir reflete sobre a vida e resolve escrever sobre suas experiências. Vai ser escritor. Escreve na camisa. Com auxílio de Sophie Morceaux, atriz e estrela internacional, em cuja mala se escondeu, consegue um editor para o livro. Era um francês que estava a trabalho na Itália. Recebe 100.000 euros como adiantamento.Fica feliz, mas nem retornou ao hotel para agradecer a atriz, por conta da perseguição de Gustave, o motorista, que o havia localizado. Foge em um balão,cai no mar, é resgatado indo parar na Líbia.

Encontra-se com Haashim,um sudanês, companheiro da primeira viagem para a Inglaterra. Convence-o de que deve aceitar uma ajuda de 40.000 euros para retornar à sua terra e viver com dignidade. “Chega de porão de navio, de porta-malas de carros, chega de caminhões de mercadorias .Um homem jogado de um país a outro, em busca de um sonho irrealizável.”

As trapaças ficaram para trás. Agora Ajatashatru é um homem livre e escritor.Vai finalizar seu livro na companhia de Marie, na França e telefona-lhe. Também vai embarcar para viver feliz, livre e com dignidade e pagar seus conterrâneos.

“Minha casa é Marie.”

“Agora ele era um fidalgo, um verdadeiro marajá, de turbante limpinho para agradar a sua amada.”

Ele encontra o aeroporto fechado, pois a Líbia está em guerra. Seu coração fica despedaçado.

“O que Ajatashatru Singh vira no aeroporto de Trípoli ficaria por muito tempo gravado em sua memória.”

Um livro divertido. Projeto gráfico bem legal e agradável à leitura. Recomendo.

Capa, ficha técnica, sinopse

A Extraordinária Viagem do Faquir Que Ficou Preso em um Armário Ikea - Romain Puértolas

A extraordinária viagem do faquir que ficou preso em um armário ikea

Romain Puértolas
ISBN: 9788501102089
Editora: Record
Número de páginas: 272
Encadernação: Brochura
Formato: 14  X 21cm
Ano Edição: 2014
Tradutor : Mauro Pinheiro

Sinopse

A figura de um faquir está associada à meditação, ao treinamento e à magia. Mas, no caso de Ajatashatru Ahvaka Singh, é mais provável que o público se depare com truques e trapaças. A última de suas artimanhas foi convencer sua aldeia a pagar por uma viagem a França para adquirir a Camadepregösa, um modelo de cama de pregos vendida pela Ikea.

Só que ele não contava em ficar preso dentro de um dos armários da loja. Nem que o móvel seria despachado para outro país. Assim, o faquir e seu turbante partem para uma aventura, ainda que involuntária, pelo mundo, fazendo uma horda de inimigos, alguns amigos e aprontando muitas confusões pelo caminho.

Boa leitura

See ya!

Rosana Gutierrez

Compre o livro em um dos links abaixo

Buscapé