Olá!

Confira a resenha de Dilúvio , segundo volume da série Teardrop

Quem conhece a autora por conta da série Fallen, vai se deparar com uma história bem diferente. Há muita criatividade, beleza e uma forma única de ser contada. Um mundo novo, de fantasia, uma mitologia criada pela autora.

Série Teardrop

  1. Lágrima – Terdrop
  2. Dilúvio – Watterfall

No livro um, as lágrimas de Eureka inundaram a Terra com consequências catastróficas para a raça humana. Os sobreviventes estão condenados, tudo está contaminado com água salgada  (alimentos e água).

As lágrimas trazem Atlântida de volta e o perverso Atlas. E Eureka é a única que pode detê-lo. Mas para isso, ela precisará viajar pelos oceanos, encontrar respostas e adquirir o conhecimento para enfim derrotar Atlas e seus planos malévolos, e consertar o estrago que fez… se isso for de fato, possível.

Também conhecemos a história dos antepassados de Eureka e sua herança é bem mais sombria do que ela supunha. Há um triângulo amoroso, um monarca do mal, Eureka entende o poder de suas lágrimas e o porquê de não derramá-las.

Ela sabe o poder que suas emoções têm, mas continua passando por coisas que a desestabilizam e isso faz com que tudo fique instável, o controle de suas emoções fica frágil . Eureka tem de usar esse equilíbrio para se redimir e salvar o mundo. Mas muitas surpresas estão por vir, e quanto mais descobre, mais aumenta sua luta interior.

A autora explora em Dilúvio o poder e a necessidade das emoções, os amigos, a família e como Eureka se sente por amá-los. Há a necessidade de ler Lágrima para entender o que houve e conhecer o mundo criado pela autora.

A capa é linda e a diagramação é agradável à leitura. Recomendo.

Capa, ficha técnica, sinopse

dilúvio lauren kate

Dilúvio

Teardrop 2

Waterfall

Lauren Kate

ISBN: 9788501102690
Editora: Galera Record
Número de páginas: 316
Encadernação: Brochura
Formato: 16 X 23 cm
Tradução: Priscila Catão
Ano Edição: 2015

Sinopse

Com apenas uma lágrima, Eureka inundou o mundo e deu início à ascensão de Atlântida. Se derramar mais duas, nada impedirá o maligno rei Atlas. Herdeira da Linhagem da Lágrima, ela é a única capaz de detê-lo, e precisará atravessar o oceano para encontrar Solon, um Semeador foragido que sabe como enfrentar o rei. Mas a revelação que o amor de Ander e Eureka faz o menino envelhecer mais rapidamente a faz se sentir ainda mais incapaz de vencer Atlas. Se continuarem juntos, ele morrerá em breve. Agora Eureka precisa se reconciliar consigo mesma e com o que seu sofrimento causou ao mundo. E um segredo sobre a Linhagem da Lágrima pode mudar tudo, passado, presente e futuro. Com esse conhecimento, ela é capaz de conseguir a chave para derrotar Atlas. Mas seu coração partido pode pôr tudo a perder.

Boa leitura

See ya!

Rosana Gutierrez

**** Como há alguns comentários sobre o nome da personagem principal, resolvi escrever essa observação.

Eureka tem tudo a ver com a história.

 

É uma expressão de exclamação, quando alguém descobriu ou encontrou algo que procurava. Também significa em grego antigo “descobri”, “encontrei”.

Mas acredito que o da história é também em referência a Arquimedes, ele foi engenheiro, astrônomo e um dos maiores matemáticos da Grécia Antiga … E o que ele tem a ver? Eureka! Foi supostamente pronunciada pelo cientista quando ele resolveu um problema proposto por um rei.

Arquimedes também desenvolveu teorias e tratados, como  Tratado dos corpos flutuantes e deixou grandes contribuições para os estudos da estática e da hidrostática ( que tem a ver com água – Dilúvio – Eureka). 

E há a explicação na trama, Eureka quer dizer alegria. Mas leia e descubra o porquê 😉

bjs