Olivier Bourdeaut – Esperando Bojangles @grupoautentica #resenha


bojangles

Olá!

Confira a resenha do livro Esperando Bojangles, de Olivier Bourdeaut, publicado pela Autêntica editora.

Este interessante romance trata o tema da loucura com elegante simplicidade, humor e sabedoria.

O autor faz, ao longo da narrativa, o retrato de uma família francesa de estilo próprio, longe dos padrões normais.

Escrito sob o ponto de vista de um garoto, filho do casal, que tudo observa com afeto, admiração e humor.

Os pais, envoltos em compreensão e amor, prezam o prazer do momento e a alegria de estar com os amigos em casa.

“Moram em um apartamento grande para receber o máximo de pessoas.”

Dançam quando estão a sós ou na companhia de convidados. Dançam a qualquer hora do dia ou à noite, ao som da mesma música: Mr. Bojangles, elepê de Nina Simone.

“Mamãe convidava uma multidão de gente para comer, a qualquer hora do dia: os amigos, certos vizinhos, os antigos colegas de meu pai, a zeladora, o marido dela, o carteiro, o quitandeiro, uma vez, um velho esfarrapado que cheirava mal, mas mesmo assim parecia satisfeito.”

Um pássaro enorme “Mademoiselle Supérflua” completa a excêntrica família.

O pai, Georges, que enriquecera com compra e venda de oficinas, agora tem tempo para ficar em casa junto dos seus. Gosta de contar histórias e escreve livros, muitos.

Ele muda o nome da esposa frequentemente, e ela gosta disso.

“Nunca entendi direito por quê meu pai nunca chamava minha mãe pelo mesmo nome mais de dois dias seguidos.”

A família não tinha o hábito de abrir as correspondências que estavam sempre jogadas a um canto da sala. É claro que isso trará consequências futuras.

O filho deixa a escola por conta das viagens ao sul da França, onde eles possuem um castelo comprado com o lucro nos negócios das oficinas.

Nos escritos do seu caderno, há o registro de como conhecera a esposa, a adoção do pássaro, bem como sua promessa de não abandonar nunca a esposa.

Alguns incidentes domésticos levam o garoto a perceber a excentricidade do comportamento materno. Necessitando de internação em uma clínica psiquiátrica, pai e filho vão fazer algo inusitado…

“Seu comportamento extravagante preenchera toda a minha vida, ele viera se aninhar em cada recanto, ocupava todo o quadrante do relógio, devorando cada instante. Acolhi essa loucura de braços abertos, depois os fechei para apertá-lo com força e dela me impregnar, mas temia que uma loucura mansa como essa não fosse eterna. (…) meu papel consistia em fazer a intendência seguir, em cadência, em lhe dar os meios de viver suas demências e não se preocupar com coisa nenhuma.”

Obs.: “Mr. Bojangles”, música interpretada por Nina Simone. 

Capa, ficha técnica, sinopse

bojangles

Esperando Bojangles

Olivier Bourdeaut

ISBN: 9788551300862
Editora: Autêntica
Número de páginas: 128
Encadernação: Brochura
Formato: 14 x 21 cm
Edição: 2017

Sinopse

Apenas um ano após sua publicação na França, “Esperando Bojangles” foi contemplado com diversos prêmios literários, alcançou a marca de 300 mil exemplares vendidos e teve seus direitos de tradução negociados para 29 países.
Diante do olhar maravilhado do filho, eles dançam ao som de “Mr. Bojangles” na voz de Nina Simone. O amor que os une é mágico, vertiginoso, uma festa eterna. Na casa deles só cabem o prazer, a fantasia e os amigos. Quem dá o tom, quem comanda toda essa dança é a mãe, qual um fogo-fátuo imprevisível e extravagante. Foi ela que adotou o novo membro da família, Mademoiselle Supérflua, um pássaro grande e exótico que perambula pelo apartamento, bica os convidados e usa coleira de pérolas. É a mãe que os arrasta o tempo todo para um turbilhão de poesia e quimeras.
Um dia, porém, ela vai longe demais. E pai e filho farão tudo para que a festa continue. Nunca um louco amor traduziu tão bem a história dessa família.

Boa leitura

See ya!

Rosana Gutierrez

Previous [Bastidores Literários] Um pouco a respeito de novelas e romances, roteiristas e escritores brasileiros
Next [Bastidores Literários] Quando o “Original” pode ser considerado pronto?

2 Comments

  1. 28/03/2018

    oie, Camis!
    Eu sou suspeita para falar pq amo autores franceses
    🙂
    Mas é sim um bom livro.
    bjs

  2. Oi, Rô.
    Ainda não conhecia esse livro, mas pareceu bem interessante!
    Adorei a resenha!
    beijos
    Camis

Deixe um comentário! Quero saber o que achou do texto ;)