Avaliação

Após uma grande epidemia viral assolar o Texas, os seres humanos começaram a retornar da morte mais fortes e mais rápidos: agora, eram conhecidos como Reboots.

9
Nota

Olá!

Confira a resenha do livro Reboot, da autora Amy Tintera.

Comecei a ler e só havia lido a sinopse, que me chamou a atenção. Aí descobri que é uma trilogia…Mas tudo bem, vale a pena esperar os próximos. É uma distopia, YA.

  1. Reboot (2013) – Reboot (2015);
  2. Rebel ( 2014);
  3. Ruined ( sairá nos EUA em 2016).

Wren é a reboot 178.

178 minutos após a morte, ela reinicializou. Um vírus mata as pessoas e depois as pessoas ressuscitam. A maioria volta logo, quanto mais rápido, mais próximo de ter alguns resquícios de sentimentos humanos. Wren é a Reboot com tempo maior, 178 minutos.

Os adultos que reinicializam são eliminados, pois alegam que algo não vai bem. Lembrei de Cemitério Maldito de Stephen King e de As vezes eles voltam, quando falaram disso.

Wren 178 é uma máquina de matar, até chegar o Reboot 22, Callum. Ele tem muito de humanidade, já que se passaram somente 22 minutos após morrer.

Nossa heroína acha que não sente mais nada, que cheira a morte. Nunca treina Reboots baixos pois são fracos, mas 22 foge as regras, sorri, provoca, e Wren acaba o escolhendo para treina-lo.

Callum é meio avesso as ordens e Wren tem que treiná-lo ou ambos podem ser punidos. Mas ele conquista Wren, aquece seu coração com sorrisos. Ele é uma graça em todos sentidos. Um contraponto para o comportamento de Wren.

Todos temem Reboots. Acham que nem alma eles tem. São mais fortes que os humanos, para serem abatidos de vez, só com um tiro na cabeça, a aparência deles também muda, a fisionomia, a cor dos olhos. Quem cuida deles é a CRAH –  Corporação de Repovoamento e Avanço Humano.

Reboots saem em missões, como as para capturar rebeldes, mas 178 começa a perceber que há algo estranho nas missões e com os reboots. Sua companheira de dormitório Ever está com um comportamento alucinado, ataca, grunhe, seu apetite por carne é imenso ( Walking Dead felings? kkkk) Wren vê que estão aplicando estranhas injeções em Ever.

Todo sistema começa a parecer estranho, algo está errado.

Em uma missão toda estranha, ela captura um rebelde que se mostra amigo do oficial que acompanha os vôos, Leb. Ela fica sabendo que há rebeldes ajudando Reboots a fugir e que existe uma reserva Reboot onde não vão humanos.

Em certo momento Wren faz um trato com Leb ( ele é um dos poucos humanos que tem alguma interação com ela, que também o salvou de um Reboot) em troca do mapa para a suposta reserva.

Callum é meio avesso as ordens e Wren tem que treiná-lo ou ambos podem ser punidos. Mas ele conquista Wren, aquece seu coração com sorrisos. Ele é uma graça em todos sentidos. Um contraponto para o comportamento de Wren.

Wren e Callum com ajuda de Leb fogem para cumprir o trato e obter o mapa. Passarão por coisas terríveis, Callum verá como está distante de sua humanidade e Wren ficará de frente com seu passado, também estarão mais próximos do que nunca. E CRAH protege uma ova!

“—É. Não precisa ser cuidadoso. Rápido é melhor.
—Está bem. — Ele soltou a respiração, e eu senti a ponta da faca cutucar minha pele. Fechei os olhos quando ele apertou com mais força.Era mais fácil bloquear a dor com a respiração dele no meu pescoço e seu calor atrás de mim .
A bala bateu no chão com um baque, e Callum colocou a faca de lado, as mãos escorregando pelos meus braços”

A narrativa é ágil, sem enrolação. Uma distopia, mas como a autora mesmo diz, buscou inspiração em Dexter, Buffy, a caça vampiros, Walking dead, onde nossa heroína é um um tanto badass, mas também há o garoto que permanece ao lado dela, e ambos, também os outros Reboots, rebeldes, humanos e cia, passarão por conflitos até descobrirem a verdade e o que a CRAH realmente faz.

O segundo livro, Rebel, já saiu lá fora e o terceiro, Ruined só em 2016 será publicado lá fora.

Mesmo sendo um tema já visto e revisto, a autora traz novos ares e como mencionei, não enrola e desenvolve bem as personagens. Pelo menos nesse primeiro livro. Recomendo.

A capa é simples e muto legal, e foi mantida a original. A diagramação e papel são agradáveis à leitura.

Leia o primeiro capítulo aqui

Capa, ficha técnica, sinopse

reboot - amy tintera

Reboot

Reboot

Amy Tintera

ISBN: 9788501401090
Editora: Galera Record
Número de páginas: 352
Encadernação: Brochura
Formato: 14 X 21 cm
Tradução: Fabiana Colasanti
Ano Edição: 2015

Sinopse

Após uma grande epidemia viral assolar o Texas, os seres humanos começaram a retornar da morte mais fortes e mais rápidos: agora, eram conhecidos como Reboots. E esse foi o destino de Wren Connolly, conhecida como 178, a Reboot mais implacável da CRAH, a Corporação de Repovoamento e Avanço Humano.

Como a mais forte, ela pode escolher quem treinar, e sempre opta pelos Reboots de número mais alto. No entanto, um mero 22 da nova leva de novatos da CRAH chama sua atenção, e, com a convivência, Wren começa a questionar a própria vida e a realidade dos reinicializados.

Boa leitura

See ya!

Rosana Gutierrez

 

Compre o livro

Saraiva