John Green – Tartarugas até lá embaixo @intrinseca #resenha


tartarugas

Olá

Aqui vai uma resenha sobre o livro ‘’Tartarugas até lá em baixo’’ do autor John Green.

Antes de tudo de possa vir dessa resenha eu lhes pergunto:

O que impulsiona o leitor a ler? e Por que ler John Green?

Essa pergunta pode ser respondida em muitos pontos pelos quais vamos aqui citar.

O livro encanta o leitor infanto-juvenil e o adulto pela narrativa.

Até porque longe de mim jogar louros somente ao John Green, apesar de ser fã e ter lido os livros dele, o que me torna suspeito para escrever, mas sua escrita é leve e sincera com as ironias que guiam como lidar com os acontecimentos dentro do livro .

É fenomenal vermos o sentimento de umas ironias transformadas em realidade de acordo com o ditado ‘’ a vida imita a arte e vice-versa’’.

Um livro incrível, recheado de frases sublinhadas que fala de amizades duradouras e reencontros inesperados e cheio de referências tanto do mundo nerd assim como do mundo das séries e afins.

‘’(…)qualquer um pode olhar como você, mas é muito raro encontrar quem veja o mesmo mundo que o seu(…)’’.

O engraçado desse livro é como o enredo não gira em torno de um personagem ou personagens principais o direcionamento da história é baseado em Rusell Davis Pickett, um bilionário, que desapareceu e deixou seus filhos, Davis e Noah aflitos, já que não se sabe como isso ocorreu, logo Aza e Daisy vão atrás da verdade ,mas o desaparecimento ou sumiço tem dois significados tanto para Aza quanto para Daisy.

Aza vive em questionamentos pessoais e filosóficos , pois ela como uma pessoa que tem o complexo de TOC vive se mostrando uma pessoa que duvida de si em tudo que faz, digo, ela tem tanto a se mostrar curiosa quanto questionar se isso não passa de coisa da cabeça dela, além de tentar entender o relacionamento de como viver ‘’normalmente’’ em um mundo louco.

As questões dela tornam em alguns pontos do livro, estar dentro da cabeça de uma adolescente de 16 anos que possui TOC, de forma sucinta.

Um ponto que torna-se interessante é seu relacionamento com outras pessoas além de Daisy, com Davis Pickett , filho de Rusell, que é um relacionamento complicado para ela, pois ela tenta se entender com ele do mesmo jeito que ela se sente com ela mesma e isso deixa interessante porque mostra assim como em livros infanto-juvenis, uma visão mais ampla sobre o que é ser adolescente. É a visão de um homem (o autor) que desenvolve a cabeça de uma personagem que passa por diversas fases no período da adolescência, se descobrindo para descobrir um pouco mais sobre o mundo a sua volta. Ou seja, um livro de um adolescente para outro.

Como recomendação de leitura, é sensacional, pois no final chega a surpreender quem for ler, mas aviso: é preciso estar com a mente aberta para ler John Green, pois a leitura pede atenção e compreensão tanto escrita, quanto emocional, é um mundo de uma garota para o seu e vice-versa.

‘’— Parta corações, mas não quebre promessas, Holmes!’’

CAPA, FICHA TÉCNICA, SINOPSE

tartarugas

Tartarugas até lá embaixo

John Green
ISBN:  9788551002001
Editora: Intrínseca
Número de páginas: 256
Encadernação: Brochura
Formato: 14 X 21 cm
Ano Edição: 2017

SINOPSE

A história acompanha a jornada de Aza Holmes, uma menina de 16 anos que sai em busca de um bilionário misteriosamente desaparecido – quem encontrá-lo receberá uma polpuda recompensa em dinheiro – enquanto lida com o transtorno obsessivo-compulsivo (TOC). Repleto de referências da vida do autor – entre elas, a tão marcada paixão pela cultura pop e o TOC, transtorno mental que o afeta desde a infância -, Tartarugas até lá embaixo tem tudo o que fez de John Green um dos mais queridos autores contemporâneos

 

Compre o livro em um dos links abaixo ?

Submarino

Amazon

 

 

 

Aproveite e participe do sorteio especial de Tartarugas até lá embaixo, no nosso Instagram!

Vaja outras resenhas de John Green , aqui

Previous [Bastidores Literários] Doctor Who, James Bond, a Marvel e a Mitologia Brasileira
Next [Bastidores literários]O que o escritor deve fazer quando estiver “entre livros”?

1 Comment

  1. Oi, Breno.
    Gostei bastante da sua resenha, mas não gostei tanto assim do livro. Na verdade eu não sou fã do autor, mas continuo insistindo em ler seus livros… Rs!! Tentei mudar de opinião a respeito dele com esse livro, mas o resultado não foi bom!!
    Beijos
    Camis

Deixe um comentário! Quero saber o que achou do texto ;)