Olá!

Eu já havia publicado essa resenha, mas um problema no servidor tirou do ar algumas resenhas, e essa foi uma delas.

É quase impossível alguém que aprecie música, não tenha ouvido pelo menos uma música dos Rollings Stones, uma das melhores e lendárias bandas de rock.

A resenha de hoje é da autobiografia de um dos seus integrantes, do guitarrista Ron Wood. Uma figura que conheceu todo mundo do meio da música.

O prefácio para os brasileiros foi escrito por Marcos Otaviano, guitarrista, e conta um pouco sobre Ron, lembrando que antes dos Stones, ele tocou no Jeff Back Group e no The Faces e a influência dele na música.

Ron Wood, músico inglês talentoso e também pintor, formado pela Belas Artes, tocou em bandas que fizeram história, como Jeff Back Group e The Faces e sonhava em tocar nos Rolling Stones. E conseguiu.

Nesse livro, ele conta sobre os bastidores, as festas, encontros, seus amores, as rusgas e reconciliações com Keith Richards. Também narra sobre a época em que o blues e rock ditavam a cena britânica dos anos 1960, e de sua carreira de músico, de artista plástico, sobre amigos próximos como Eric Clapton e Rod Stewart.

As histórias que ele conta parecem um pouco floreadas, chegando a ser um tanto exageradas, mas é um livro muito bacana, uma narrativa que parece uma conversa com o leitor. E o que mais interessa, o mundo da música, tem bastante história e informação. Além de muitas ilustrações de autoria de Ron e até o boletim dele, da época em que estudava.

Ele é um ótimo contador de histórias e bem humorado. De família cigana e pobre, sua infância foi difícil e cheia de privações, mas recheada de acontecimentos que ele narra com bom humor, lembrando de detalhes de sua vida, apesar dos exageros da droga e bebida. No auge de seu vício por heróina, dividia um minúsculo quarto em Paris com um de seus grandes amores, sua segunda esposa, Jo Wood. Ele diz que agora está sóbrio.

O livro foi originalmente publicado em 2007, mas só agora saiu aqui no Brasil. De 2007 para cá, muitas coisas importantes aconteceram, como a separação dele e Jo Wood após 26 anos de casamento e  a volta dos Stones para o show comemorativo de 50 anos.

Capa, diagramação, papel, revisão de ótima qualidade. Eu sou fã de Stones e adorei o livro, mas ele é narrado de uma maneira tão legal, que quem não é fã ainda, com certeza vai virar. Ron Wood narra de uma maneira tão carismática que você se envolve totalmente na narrativa. Recomendo.

Capa, ficha técnica, sinopse

Ron Wood – A autobiografia de um Rolling Stone

Ron Wood
ISBN: 9788563993519
Editora: Generale
Número de páginas: 382
Encadernação: Brochura
Formato: 16 X 23 cm
Ano Edição: 2013

Sinopse

Pela primeira vez, um membro da mais famosa banda de rock’n’roll do mundo conta sua história – e a do Rolling Stones. Bruto, imundo, desagradável e fascinante. Uma jornada incrível. O primeiro de sua família a nascer em terra firme, Ronnie Wood veio de uma linhagem de ciganos e foi criado em um apartamento próximo ao Aeroporto de Heathrow. Cresceu com dois desejos: pintar e tocar. E Wood sempre teve talento para essas duas atividades. Em 1930, ele estava tanto no local certo quanto na hora exata – tornou-se o guitarrista do The Birds, encontrou-se com Jeff Beck, uniu-se ao The Faces até esbarrar em Rod Stewart. Mas Wood e sua guitarra tornaram-se referências quando entraram para os Rolling Stones.

Este livro é um retrato fascinante não apenas dos Stones, como também dos maiores roqueiros dos anos 1960, e mais: de Eric Clapton a Rod Stewart, de Jimmy Page a Keith Moon, de Jimi Hendrix a Pete Townshend. Um livro rico e revelador. Um passeio surpreendente pelo mundo do rock.

Ron Wood

 

Boa leitura.

See ya!

Rosana Gutierrez