Essa fall season não está com estreias muito boas, muito pelo contrário teve muita porcaria e vi todos os pilotos para comprovar. São poucas as séries que eu não abandonei depois de ver somente o piloto e essa é uma delas, e eu imaginei que não passaria do piloto.

O terceiro episódio nos trouxe tudo o que eu mais gosto numa série: conhecer o passado dos personagens e seus podres! Gosto ainda mais quando o passado nos é apresentado em forma de flashbacks e nesse ponto Witches of East End não decepciona, nós agora sabemos que Joanna por ser uma bruxa muito poderosa tem muitos inimigos que gostariam de vê-la morta para sempre. A matriarca é uma mulher de muitas caras e personalidades em suas vidas passadas. Nesse episódio tivemos bruxaria em família e preciso falar que o entrosamento dessas 4 é uma coisa muito linda, estou realmente adorando como as atrizes se completam juntas.

E como disse que tinha caroço no angu dos irmãos super hot e agora sabemos, pelo menos uma parte de tudo, Killian não soube manter o amigo dele nas calças e foi pegar a noiva do irmão 3 meses antes do casório. Isso não se faz Killian, mas ainda prefiro você porque esse seu irmão tem mais coisa escondida no armário só esperando para sair! Ainda descobrimos que Dash acha que o irmão está em busca de vingança por algo que ele culpa Dash, o que teremos que esperar os próximos episódios! Mas eu quero mesmo é saber da história de Killian e Freya, tanto que já providenciei a compra dos ebooks dos livros para meu Kobo (lendo faço resenha dos livros também!).

Nesse episódio tivemos embate entre Joanna e Joanna dos olhos verdes, coisa assustadora aqueles olhos minha gente! Mas essa briga foi bem chinfrim, para uma bruxa tão poderosa Joanna está mais para uma que recém descobriu os poderes! A filha mais velha dela trouxe um morto de volta a vida e ela nem teve um embate digno com sua cópia! Feio, muito feio!

O episódio quatro fez algo raro comigo: me enganou bonito! Pensei que a amiga da Ingrid ia perder o bebê como sendo a consequência do feitiço da ressurreição que a bruxa fez, mas não! Foi o Adam, e eu raramente caio nessas coisas em séries top nessas que são puro entretenimento muito menos! Adorei isso! E adorei ele morrer porque esse ator traz azar para as séries que participa, menos Grey’s que Shonda sabe agradar o publico, mas esse personagem da série não funcionou e adorei terem dado um fim nele tão rápido.

No episódio já temos o fim de um dos inimigos de Joanna, que foi mexer com as filhas da bruxa e acabou sem orelha no passado e voltou agora para se vingar. Mas pelo que ele diz teremos mais inimigos da matriarca aparecendo para assombrá-la pelo que fez no passado. Espero realmente mais flashbacks porque estou adorando os que vi até aqui, espero das outras personagens também e não só dela.

 

Tivemos a volta da sogra bitch de Freya querendo que os filhos se reconciliem e que a bruxa ajude a unir os irmãos, mas não parece que isso pode acontecer com toda tensão sexual entre cunhado e cunhada! Ah e agora sabemos que Killian era para ter uma carreira como grande pianista, mas que por conta de uma fratura teve que deixar isso de lado! E mais um detalhe foi jogado sobre ele e Freya estarem destinados: quando ele está tocando piano e ela reconhece a música e ela observa isso, ele diz ser impossível por ser uma composição dele!

Fechando o episódio tivemos ainda Wendy confraternizando com o ‘vizinho’ para conseguir um ingrediente especial para um feitiço e ajudar a irmã a se livrar da acusação de assassinato. Adoro Wendy e ela consegue protagonizar muito mais que a irmã! Ela traz a leveza da série e de uma forma cheia de cretinice, porque ela não joga pelo lado seguro, ela faz o que precisa fazer e não pensa muito nas consequências!