Olá!

Confira a resenha do livro Um mundo de ilusões – psicografia de Sarah Kilimanjar, ditado pelo espírito Wera.

Como disse o espírito Wera: “A vida é perene; ninguém morre — apenas nos transferimos, em espírito, para o mundo invisível aos olhos carnais dos seres humanos”.

É um alerta aos que pensam diferente, pois o comovente relato do romance “Um mundo de ilusões”, nos deixa claro a assertiva de Wera (espírito).

A dramática história se passa na Rússia, em pleno regime czarista, nos fins do século XIX.

Sasha, 28 anos, camponês, é, na realidade, filho de um amor proibido de Nadja Alexandra, rica baronesa, filha da nobreza, com Vladimir, cavaleiro da fazenda dos nobres.

Ela fora, desde a infância, prometida a Yuri que pertencia à “ fina estirpe da Rússia”.

“Era um jovem de boa índole, e como todo filho de nobre, não se preocupava com o futuro, deixando isso nas mãos dos mais velhos.”

Ela, mesmo grávida, casa-se com Yuri. O tempo passa, Yuri está em viagem de negócios, e o dia do nascimento chega. Foi um parto difícil de gêmeos. Sucumbem a mãe e um filho, o outro sobrevive.

Wolga, sua irmã mais velha, enciumada, maldosa e arredia diz que a criança é normal e que não é filho do cunhado Yuri. Pede que enrole o recém-nascido e o leva para ser criado por uma família de camponeses.

“Quando o segundo bebê nasceu e chorou dando sinal de vida na mão do médico, Wolga escancarou a porta, entrou gritando impropérios , acusando a irmã de perjúrio e infidelidade…”

O pai, Wladimir, apesar da distância, fica sabendo, não suportando a dor,  se enforca.

Quando Sasha completa 28 anos, recebe uma carta anônima solicitando sua presença em São Petesburgo para tomar posse de uma herança que, por direito, lhe pertencia.

Viaja para o endereço indicado e se assusta ao se deparar com uma mansão praticamente em ruínas: portas que rangiam, paredes esburacadas, móveis deteriorados. Acaba se assustando ao subir as escadas, quando ouviu um piano tocar uns acordes, sem interferência humana. Ao chegar ao quarto, depara-se com uma mulher esquálida vestida com uma camisola branca e, ao lado, um velho que mastigava um chiclé. Era o mordomo Andrei.

Para se aquecer, Sasha coloca na lareira móveis imprestáveis que encontrou por lá. O frio era insuportável.

“Ontem feliz e descomprometido de tudo…hoje, instalado em uma mansão em que piano fala e ainda diz ser sua mãe. Hum! Que mistério tudo isso.”

A pedido da enferma Wolga, sua tia, o mordomo pede que Sasha traga o padre  Alexei para vê-la. Nessa noite ela desencarna.

Sasha fica só com Andrei. Ele inicia as buscas pelos documentos para a transferência dos bens a ele.

À noite, Sasha  se desprende do corpo, em espírito, e presencia macabras cenas de Wolga sendo torturada por um homem com uma corda no pescoço (seu pai?) ao som desconexo de um  piano tocado (por sua mãe?).

“Esquecia, desgraçada, que desceria ao túmulo e, como nós, pertenceria a outra dimensão?

Wolga tinha sido perversa durante a vida e agora os atos malignos a tornaram prisioneira de si mesma.

“Inimigos do passado, aqui na terra, se confrontam no presente de encontros e desencontros, onde a raiva e o ressentimento se chocam e sofrem o estigma da dor e do desencontro.”

Sasha não se acovarda e vai à luta. Reforma as propriedades, viaja a negócios, estuda grego e filosofia. Aos 35 anos é um sábio e solitário.

Um dia, vê Yuri que fora casado com sua mãe. Após 10 anos de viuvez, se casara e tinha Natasha, uma bela moça. Sasha por ela se apaixona, porém seu coração já era de um soldado da guarda real.

Solitário, amplia seus domínios, a qualquer custo, onde honestidade e decência eram ignorados. Mulheres, tinha todas as que quisesse.

Em meio à guerra, que derrubara o último czar (séc. XIX), Sasha encontra, vagando pelas ruas de Praga, Natasha segurando pela mão o filho Alex.

Vidas que se encontram. Teria Sasha encontrado uma oportunidade de redenção?

Como disse o espírito Wera:Cavamos nosso inferno na base dos remorsos, ou nos libertamos dos liames da matéria pelos bons atos e, assim, adquirimos as delícias do paraíso criado por nós mesmos.”

Romance cativante,belíssimo, cujos  ensinamentos  nos levam a repensar a vida, pois ela não se extingue. Somos viajantes do tempo rumo à elevação.

Capa, ficha técnica, sinopse

um mundo

Um mundo de ilusões

Sarah Kilimanjaro

ISBN: 9788572532587
Editora: Petit
Número de páginas: 400
Encadernação: Brochura
Formato: 16 X 23cm
Ano Edição: 2014

Sinopse

Rússia, fim do século 19. Em pleno regime czarista, desenrola-se uma dramática e surpreendente história. Nasce Sasha, filho de um amor proibido de uma rica baronesa. Ainda bebê, é entregue a uma família de camponeses e com eles vive durante vinte e oito anos, até que um dia é surpreendido com uma carta que mudaria toda sua vida.
O jovem descobre que é herdeiro de uma grande fortuna, passando a viver na nobreza russa. Apaixona-se pela filha de um nobre – Natasha – o grande amor de sua existência.
Além de todas essas revelações, Sasha descobre ser possuidor de mediunidade e vivencia impressionantes fenômenos espirituais na mansão que herdara, mostrando-lhe que a realidade é apenas um mundo de ilusões.
Boa leitura

See ya!

Rosana Gutierrez

Compre o livro no site da Petit