Confira a resenha do livro The 42nd St. Band: romance de uma banda imaginária – Renato Russo, org Tarso de Melo, publicado pela Companhia das Letras

Como li por aí, o baú de Renato Russo parece não ter fim. Mente inquieta, compositor atemporal e escritor de sentimentos que estão passando de geração em geração. O mais incrível é descobrir estas manifestações da mente dele, como a trajetória da fictícia The 42nd St. Band.

Três primos de idades semelhantes que descobriram a música juntos foram além ao se unir a Taylor e Reeves, criarem e estabelecerem a 42nd St. Band. Composta por britânicos e norte-americanos, incensadas pela imprensa pela quantidade de obras-primas, o livro narra por meio de depoimentos, relatos e etnrevistas a trajetória do grupo, suas diferentes formações, fases e abordagens, comprovando porque se tornaram um dos grandes nomes do cenário mundial.

Comentários

– É fato público que, aos 15 anos, Renato sofreu de uma rara doença óssea e ficou acamado. A única coisa que podia fazer era escrever. E o adolescente criou a história de uma banda que explodiu como sucesso mundial. Várias pessoas vão traçar os paralelos com a jornada da Legião, mas confesso esta não foi a minha preocupação. Meu fator de curiosidade foi perceber como ele usou tudo que se informava sobre as bandas e estilos musicais que gostava ou que eram sucesso na época para criar a 42nd St. Band. Lembrem-se de que ele fez isso em meados da década de 1970, quando computadores pessoais e internet nas casas não eram cogitadas pela maioria das pessoas, celulares eram tecnologia futurista. Para saber do mundo do rock, só através de revistas e publicações especializadas que os amigos traziam  das viagens ao exterior.

– É um texto perfeito? Provavelmente não. É melhor que as minhas tentativas de criar qualquer coisa quando eu tinha 15 anos? Com certeza! Os mais apaixonados vão encontrar todas as referências, se bobear, até as que não existem! É curioso? Sim, até para quem entende quase nada ou pouco do contexto musical que ele menciona. Ah, aos 15 anos, o desafio da minha vida era aprender corretamente “Losing my religion” do R.E.M., ou seja, não tinha a menor capacidade de pensar em Inglês, quanto mais criar narrativas intrincadas como as sobe a 42nd St. Band. Yep, todos os textos do livro foram escritos originalmente em Inglês e traduzirdos por Guilherme Gontijo Flores. Como não houve uma escrita cronológica, foram blocos soltos relacionados à banda, coube ao Tarso de Melo organizá-los. E na minha modesta opinião, ele fez escolhas acertadas. Há uma ou outra coisa confusa (a morte/não morte de um personagem é um deles), mas a gente consegue compreender.

– Letras de canções, discografias completas, capas de álbuns, diversas cronologias, entrevistas de diferentes fases. Ele realmente aproveitou o tempo elaborando tudo o que pensou ser necessário: backgrounds dos persoangens, termos técnicos, processo criativo, desavenças na banda, relacionamento amo-odeio com a imprensa britânica, experiências de estilos, projetos abandonados.

– Vi textos de críticos que detestaram, considerando “ofensiva” a publicação de um texto rascunhado por um adolescente sem maturidade e experiência de vida. Mas creiam, você provavelmente já leu ou lerá coisas piores por aí. É pessoal, o baú do Renato Russo não tem fim. Como fã, posso afirmar que a capacidade dele de me surpreender é igualmente infinita.

Capa, ficha técnica, sinopse

renato russo the 42nd st band

The 42nd St. Band: romance de uma banda imaginária

Renato Russo

Tarso de Melo (org)

ISBN: 9788535926569
Editora: Companhia das Letras
Número de páginas: 216
Encadernação: brochura
Formato: 14 X 21 cm
Ano Edição: 2016

Sinopse

Entre os quinze e os dezesseis anos, enquanto convalescia de epifisiólise (rara doença óssea), Renato Russo — à época, ainda chamado Renato Manfredini Jr., em Brasília — criou a história de um grupo de rock formado em 1974, em Londres, a partir do encontro de ícones como Mick Taylor, dos Rolling Stones, e outros roqueiros imaginados pelo futuro líder da Legião Urbana.
Da origem à separação da banda, passando por momentos de sucesso astronômico, Renato pensou em cada detalhe. A partir do personagem Eric Russell, figura central da “42nd St. Band”, nasceria Renato Russo, um dos maiores artistas brasileiros de todos os tempos, que tem, portanto, sua gênese revelada neste estrondoso romance inédito.
Bacci!!!

Beta