Textos cruéis demais para serem lidos rapidamente @globolivros @globoalt #resenha


textos-crueis

Olá, leitores, tudo bem ?

Hoje venho com uma resenha de Textos cruéis demais para serem lidos rapidamente, ou TCD, um livro muito intenso nas citações e em tudo que alí está escrito. Publicado pela Globo Alt.

Por ser um livro feito de citações de autores anônimos, estes que mostram não um só o sofrimento em si, mas nos revela um sentimento que particularmente imagino que todos tenham um dia vivido ou desenvolvido. Logo mostrando que o sentimento ou sofrimento não é algo ruim mas algo a ser vivido, sentido e refletido. E que as lágrimas geradas por estas dores transformaram-se em palavras, ou melhor em poemas e contos que este livro vem nos revela.

Lendo o livro a várias citações que me admiram, pois podemos criar hipóteses ou tentar adivinhar se foram escrita por mulheres ou homens ou uma forma mista, ou seja, escrita por quatro mãos.

Caro leitor acredito que toda idade em algum momento mostra os sentimentos, você irá se perguntar como?

Simples em cada fase da nossas vidas vivemos sentimentos e transformações, por exemplo quando somos aborrecentes, ops adolescentes, temos nossas paixonites que hoje recebem o nome de crush. E se sofre pelo amor não correspondido, ou um término catastrófico pode nós levar a depressão ou simplesmente este término nos impulsionam a algo melhor ou sermos melhores, mas antes de isso acontecer passamos o famoso ‘’período de luto’’.

Pensando desta forma entende-se pela capa que de verdade a pressa para lê-lo nos mostra um sinal de que diversos leitores em sua ânsia, talvez, não tenham dado a devida atenção não somente a este livro, como em outros livros como se deve, tendo sempre pressa para finalizá-los ao invés de parar para compreender o sentimento dos(as) autores(as) pela escrita.

“Porque seu peito é uma macieira no inverno mais gelado do planeta
Porque o amor existe pra te provar que seu sistema não falhou”

O bom é que não segue uma ordem, logo é possível ler a livre escolha, assim como alguns livros que criam laços entre uma história e outra, temos como exemplo Laços de Família, de nossa querida autora Clarice Lispector ou Brás, Bexiga e Barra Funda de Antônio de Alcântara Machado, estes livros são compostos por contos, que a princípio parecem não ter uma conexão, mas no fim a conexão é a sociedade ou local onde ocorrem.

Aí você se pergunta como assim laços entre uma história e outra?
Simples, o sentimento e a ponte que entrelaça as histórias, logo podemos dizer que o sofrimento as une.

Em suma, para uma resenha de um livro de relatos de várias pessoas, não vejo como continuar senão recomendar essa leitura lenta e gradual a procura do entendimento dos sentimentos tanto de quem escreveu para como se sente. E para os amantes de artes este livro nos mostra várias imagens que representam a dor e o sofrimento.

Confira no facebook a página de TCD

Capa, ficha técnica, sinopse

textos-crueis

Textos cruéis demais para serem lidos rapidamente

Vários

ISBN: 9788525065360
Editora:Globo
Número de páginas: 304
Encadernação: Brochura
Formato: 14 x 21 cm
Edição: 2017

Sinopse

Indo contra a tendência dos textos curtos e superficiais que são postados nas redes sociais, o coletivo literário Textos cruéis demais para serem lidos rapidamente (TCD) passou a produzir e compartilhar um conteúdo extenso, profundo e extremamente poético em suas páginas no Facebook e no Instagram. Com seus escritos e ilustrações, eles acabaram atingindo um público muito maior do que o esperado, nos mostrando como, apesar da crescente agilidade que nossa comunicação exige, ainda precisamos de tempo para digerir e entender nossas complexas relações humanas. Para este livro, foram produzidos textos inéditos que ganharam a companhia das sensíveis ilustrações de Anália Moraes.

Boa leitura

Previous [Bastidores Literários] Todos os lados da crítica literária
Next [Bastidores Literários] A Bienal está aí, mas...

1 Comment

  1. Oi, Breno.
    Gostei muito da sua resenha e fiquei curiosa para conferir mais desse livro!
    Beijos
    Camis

Deixe um comentário! Quero saber o que achou do texto ;)