Leonie Frieda – Catarina de Médici @planetalivrosbr #resenha


catarina-de-medici

Olá!

Confira a resenha do livro Catarina de Médici, de Leonie Frieda. Publicada pela Planeta.

Catarina de Médici (1519—1589) foi esposa do rei Henrique II e mãe de três reis da França: Francisco II (1559-1570),  Carlos IX (1560-1574),  HenriqueIII (1574-1589).

Catarina nasceu em Florença, Itália, em 13 de abril de 1519. Filha de Lorenzo de Médici, Duque de Ubino e de Madeleine de La Tour d’ Auvergne, condessa de Auvergne. Órfã logo após o nascimento, teve vida reclusa na infância.

Aos 14 anos, casa-se em Marselha , no dia 28 de outubro de 1533, com Henrique (duque de Orleans)filho do rei da França, Francisco I.

Apesar de muito amá-lo, fora desprezada por anos por conta da amante do marido, Diana de Poitiers. Depois de 10 anos, finalmente, ela teve filhos. Foram dez “quase todos frágeis, enfermiços e desfigurados”.

Em 1547, Henrique II é coroado rei da França. Em 1559, morre vítima de um acidente no esporte.

A repentina morte do marido coloca Catarina, até então, inexperiente, à frente do poder. A necessidade faz dela “habilidosa defensora de sua dinastia e de seu país de adoção”.

“Após a morte de seu adorado marido, Catarina vestiu o preto do luto com orgulho.” E assim permaneceu para sempre.

Seu filho primogênito, Francisco II é coroado rei com apenas 15 anos. Ela torna-se rainha regente por conta do garoto de menor de idade.

Agora Catarina afasta Diana de Poitiers  (amante do marido)do palácio e a obriga devolver as joias que ganhara do marido falecido.

Morre Francico II após um ano de reinado. Sobe ao trono Carlos IX também menor de idade. Catarina continua regente até 1568.

Despotismos e arbitrariedades foram constantes nesse período, e Catarina sempre interferiu na administração do reino, impondo sua vontade.

“Para Catarina, filhos, a dinastia e a França tinham o mesmo peso.”

Quando a negociação não surtia efeito diante dos conflitos ela partia para a “execução primária” para preservar o reino.

Durante o reinado de Carlos IX, Catarina tentou acabar com conflitos  entre católicos e protestantes. Em 1560 houvera um ataque  por parte dos protestantes, durante o reinado de Francisco II visando derrubar o líder do partido católico e obrigar o jovem rei a tomar partido contra os católicos.

No reinado de Carlos IX  (1562),os protestantes conseguiram um alvará para celebrar cultos públicos nas cidades lideradas pelo protestantismo, fora do perímetro urbano. Um ano depois, fizeram culto dentro da cidade dando origem a outra guerra.

O tratado de Saint- Germain concede anistia  aos protestantes.

 A violenta pressão sobre Carlos IX resultou no massacre “Noite de São Bartolomeu” (24/08/1572) .  Morreram 30 mil protestantes.  Isso manchou a reputação de Catarina.

Em 30 de maio de 1574 morre Carlos IX e  Henrique III é coroado rei. O reino está em estado caótico após tantas batalhas. Ele forma a Santa Liga- partido católico e revoga as concessões feita aos protestantes.  Henrique III é assassinado em 2/08/1589.

A rainha enriqueceu a Biblioteca de Paris com manuscritos da Itália e da Grécia e edificou o palácio de Tulherias.  Morreu no Castelo de Blois  e foi sepultada no cemitério dessa cidade, ficando lá por mais de 21 anos. Depois foi transferida para a Rotunda Valois de Saint-Denis da família.

Capa, ficha técnica, sinopse

Catarina de Médici

Poder, estratégia, Traições e conflitos – A rainha que mudou a frança

Leonie Frieda

ISBN: 9788542215502
Editora: Planeta
Número de páginas: 528
Encadernação: Brochura
Formato: 16 x 23 cm
Edição: 2019

Sinopse

Amada, temida e odiada Intrigas, traições e familiares morrendo a todo instante – a vida de Catarina de Médici parece um melodrama. Nascida na Itália e órfã na infância, era a única legítima herdeira da fortuna da família. Aos 14 anos, casou com o rei francês Henrique II, mas vivia sendo humilhada pela amante do marido. Após a morte do rei em um duelo, Catarina virou rainha regente no reinado do filho mais velho, que viria a falecer também. Ela manteve o poder quando os outros filhos assumiram o trono. Rica e bonita, é muitas vezes retratada como uma mulher inescrupulosa. Sem julgar, Leonie Frieda apresenta Catarina como uma política inteligente e estrategista que soube restaurar a paz na França durante tempos turbulentos. A autora fez uma extensa pesquisa em mais de mil cartas e documentos e mostra que a rainha dita como maléfica era, na verdade, uma mulher bem intencionada que recorria a medidas extremas quando necessário. A partir deste livro é possível entender melhor como era a França daquela época: de nobres depravados, assassinatos e vinganças de todo o tipo, além do constante conflito entre católicos e protestantes. A descrição dos eventos que levaram ao massacre de São Bartolomeu é tão dramática que transporta o leitor para o século XVI. A confiança da autora de que sua missão foi bem executada transparece nessa biografia de narrativa fascinante e argumentação convincente.

Boa leitura

See ya!

Rosana Gutierrez

Compre o livro em

Amazon

Previous Toma que o livro é teu
Next Kendare Blake - Dois Reinos Sombrios @globoalt @globolivros #resenha

2 Comments

  1. Rosana Gutierrez
    08/10/2019

    Oi Camis é muito bom! Vc vai gostar
    bjs

  2. Oi, Rô.
    Esse livro parece ser ótimo!
    Vou tentar encontrar um tempinho para fazer a leitura!
    beijos
    Camis

Deixe um comentário! Quero saber o que achou do texto ;)