Scarlett Peckham – O duque que eu conquistei


O Duque que eu Conquistei é o primeiro livro da série “Os Segredos De Charlotte Street” e o primeiro livro publicado pela autora. Até a divulgação no Twitter da editora nunca tinha ouvido falar da autora ou do livro. Romances de época sempre foram meu ponto fraco e fiquei encantada com a capa e bastante intrigada depois que li a sinopse.

Archer Stonewall, o Duque de Westmead, precisa de uma esposa que lhe dê um herdeiro e nada mais. O casamento deve ser apenas uma transação de negócios. Sua esposa terá seu título e poderá usufruir dos luxos que sua fortuna pode trazer. Mas cada um terá sua vida privada exatamente dessa forma: privada. Dessa forma o Duque poderá manter seus segredos sem que ninguém interfira neles, ou faça perguntas que ele não está disposto a responder.

O clichê dos romances de época obviamente não poderia ficar de fora: o duque é um homem assombrado pelo passado trágico; e pela crueldade e irresponsabilidade do pai.

Já Poppy, uma botânica autodidata, não se prende as convenções sociais da época e quer manter a todo custo a independência que conquistou com um comércio de plantas exóticas bastante promissor.

Como a própria Poppy deixa claro durante o livro: esse não é um livro de uma donzela que precisa ser salva!

A leitura foi uma agradável surpresa, tendo ficado grudada no livro do início ao fim. Não, o livro não está livre de defeitos. Entretanto foi uma leitura até certo ponto surpreendente perto da mesmice dos últimos livros do gênero ‘romances de época’ que li.

O que mais me surpreendeu no livro foi que ele não deixa o maior segredo do mocinho escondido até quase o fim, nós descobrimos logo no primeiro capítulo o qual seria seu grande segredo.

Na verdade, a sinopse original em inglês já deixa bem claro qual é o tal segredo de Archer. Já quando a sinopse foi traduzida para o português a parte que clareia completamente o tal segredo é deixada de lado, sendo descrita apenas como os “anseios sombrios que ele satisfaz na calada da noite”.

Então aqui deixo meu alerta: se você não gosta de ler NADA sobre BDSM esse não é o livro para você! Se, pelo contrário, você não se importa com formas leves leia sem maiores problemas, porque não tem mais do que três/quatro cenas e são, na minha opinião, bem leves. Nada muito explicito ou perturbador.

O tema do BDSM foi o ponto que me deixou mais intrigada quando li a sinopse do livro, pois não é a forma como geralmente vemos retratado nos livros. Achei bem executada pela autora, principalmente levando-se em conta que esse foi o primeiro livro publicado dela!

Claro que vai ter pessoas problematizando certos pontos, não vou entrar em detalhes aqui para não dar spoilers, mas é importante que todos se lembrem que depressão e outras doenças psiquiátricas em pleno século XXI ainda são vistas com grande preconceito na sociedade. Então imaginem em pleno século XVIII.

Minha única crítica é que num determinado momento da história, quando parece que o casal conseguiu se entender logo em seguida eles regridem dois passos. Isso não permanece por muito tempo e nem mesmo foi um grande problema, mas foi realmente a única crítica que tenho ao livro.

Fiquei batente impressionada com o estilo de escrita da autora e como a leitura fluiu tão bem para mim. “O Duque que eu Conquistei” é uma ótima leitura para fãs de romances de época com um toque sensual. E já estou bastante intrigada para ler “O Conde que eu Arruinei”, o livro 2 da série, que tem como mocinha a irmã do Archer, Constance.

Capa, ficha técnica, sinopse

O duque que eu conquistei

Vol1 da série Os Segredos De Charlotte Street

The duke I tempted

Scarlett Peckham

ISBN: 9788580418682
Editora: Arqueiro
Número de páginas: 288
Encadernação: Brochura
Formato: 23 x 16 cm
Edição: 2020

Sinopse

Depois de superar a ruína financeira, redimir o nome de sua família e se tornar o mais lendário investidor de Londres, o duque de Westmead precisa garantir a continuidade de seu título e de sua fortuna. A única forma de fazer isso é gerar um herdeiro.

Para isso ele tem que arranjar uma esposa que não interfira nos anseios sombrios que ele satisfaz na calada da noite nem faça exigências ao seu coração trancado para o amor.

Poppy Cavendish, a ambiciosa florista contratada pela irmã de Westmead para decorar seu salão de baile, não é esse tipo de mulher. Ela sempre lutou contra as convenções sociais para manter a própria independência e, por isso, o matrimônio nunca esteve em seus planos.

Mas agora Poppy precisa de capital para expandir seu negócio de plantas exóticas. E a atração que sente pelo duque é tão irresistível que, quando um escândalo acidental torna o casamento com ele o único meio de salvar seu ganha-pão, ela teme querer mais do que o título que ele oferece.

Compre na Amazon

Previous Susan Hilton - The Outsiders: vidas sem rumo @intrinseca #resenha
Next William Sanches - Desperte a sua vitória

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *