Erich Maria Remarque – Nada de novo no Front


Nada de novo no Front

Afinal, o que é mais um corpo entre tantos estirados no chão? Essa é uma entre tantas questões e conflitos administrados pelo protagonista Paul Bäuumer, em Nada de novo no Front. Escrito pelo veterano de guerra Erich Maria Remarque, e publicado em 1929, esse clássico da literatura alemã e pra muitos o maior romance de guerra já feito, mergulha fundo na rotina de Paul e seus amigos e em toda a herança emocional e psicológica de um garoto de 20 anos que teve sua juventude roubada pela Primeira Guerra Mundial – à época, evidentemente, chamada apenas de Grande Guerra.

A pureza, os sonhos, o tesão, os momentos com a família e tudo mais a que qualquer jovem deveria ter direito foram substituídos pelo conflito, e não apenas por ele; o sono, a fome, o cansaço, a saudade de casa e a própria hierarquia, muitas vezes falha dentro de um quartel, tornam-se adversários tão poderosos quanto as armas inimigas.

Afora, tudo isso, Paul ainda tinha que se ater com conflitos morais – “o que eles fizeram para estar presos? Eu também estou defendo meu país”. Ou a culpa, besta, de querer ficar com as botas de um amigo morto em combate – e a estranheza de sentir que aos 20 anos de idade ele já era um veterano e tinha muito a ensinar para garotos recém-chegados, já que nada do que haviam aprendido na escola seria útil na frente de batalha, como gostava de pontuar.

De fato, o que é mais um morto no meio de centenas de corpos? Nada. Literalmente, nada de novo no front; e não importa se esse morto fosse um amigo – àquela altura já quase um parente – ou um desconhecido que, por acaso, veio se proteger em um buraco já ocupado. A guerra banaliza a morte, rouba a juventude e a civilidade e não há nada, absolutamente nada de novo nisso.

Capa, ficha técnica, sinopse

Nada de novo no Front

Erich Maria Remarque

ISBN: 9786580634293
Editora: Record
Número de páginas: 186
Encadernação: Brochura
Formato: 14 x 21 cm
Edição: 1980

Sinopse

Paul Baumer é um filho de uma humilde família alemã durante a Primeira Guerra Mundial (1914-1918). Convencido de seu dever patriótico por adultos e professores, abandona os bancos escolares e junta-se às trincheiras de soldados alemães. Em pouco tempo, Paul se vê cercado por um ambiente de horror, vê meninos como ele perecerem e percebe que trocou a sua juventude por uma única e cruel certeza – ao da guerra, esteja-se do lado que se estiver.

Previous Stephenie Meyer - Sol da meia-noite #resenha @intrinseca
Next Lovecraft Country estreia na HBO - conheça 5 curiosidades sobre a série

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *