Por Gianpaolo Celli, consultor do ALITERAÇÃO SERVIÇOS LITERÁRIOS

Ao ler este título você deve estar pensando: FALA SÉRIO! Será que este cara está maluco? Bom, ainda não.

Acontece que Joseph Goebbels não só foi Ministro de Propaganda do Terceiro Reich durante a Alemanha nazista, como também foi autor da famosa frase “Uma mentira mil vezes repetida se torna uma verdade”. Como gosto de dar crédito a quem merece, fica o nome do autor da frase. De qualquer modo o assunto veio a baila quando num coaching um autor questionou a respeito do marketing literário que está sendo feito atualmente e de uma crítica que ele tinha lido a respeito, daqueles escritores e editoras que, para chamar leitores, conseguem maquiar um Livro Mais Vendido em algum lugar e em cima disso montam seu comercial.

Recordo-me, inclusive de um caso em que a venda do livro, creio que na Amazon, estava em segundo lugar só abaixo da série Guerra dos Tronos, e ao ver tal farsa logo pensei em dizer que aquilo era ótimo e sarcasticamente questionar quando a BBC faria uma série do livro em questão.

Isso, pois a informação havia sido tirada de um mecanismo que claramente pegava as informações estatisticamente sem analise. Tipo, o sistema se renovava de tempos em tempos em cima de um determinado dado (mais vendido do dia, as semana, do mês), ou seja, pegar um dado aleatoriamente não significa que o mesmo será real, ao menos a longo prazo.

Diferente, portanto, de dizer que ‘tal livro esteve na lista “dos mais vendidos” por 10, 20 ou 30 semanas’. Creio que já dá para querer ver onde eu quero chegar, não é verdade? De qualquer modo, terminei ‘ligando os pontos’ de modo a conseguir uma visão mais ampla quando assisti alguns comerciais de séries de TV que as indicavam como “6 vezes votadas como as séries mais assistidas” ou como “a mais assistida nos EUA e no Brasil”, ou ainda como “a série mais vista do mundo. Veja bem, este tipo de marketing, bastante comum atualmente, trabalha a questão da qualidade pela quantidade, deixando uma mensagem de que ‘se algo é “o mais lido” ou “o mais visto”, deve ser bom’.

FALA SÉRIO! Nada tão diferente da ideia original de Goebbels, que era que, mesmo sendo uma mentira, se algo é repetido à exaustão, termina entrando no inconsciente da pessoa e ela passa a acreditar naquilo como real, e os pequenos estão se aproveitando para tentar tirar uma lasquinha.

Não que ser um best-seller não possa indicar qualidade, mas isso também está longe de ser uma verdade absoluta. Até porque ser bom e ter qualidade não quer dizer que você, eu ou qualquer outra pessoa goste. Livros, como séries de TV, tem personagens com que podemos, ou não, criar empatia; uma história, com a qual podemos, ou não, nos identificarmos; uma trama que podemos, ou não, gostar. E FALA SÉRIO! Em livros é ainda pior, pois apesar da qualidade podemos não gostar do estilo do autor, que nada tem a ver com qualidade, mas simplesmente com gosto pessoal.

E não me venha com o clichê de que ‘todo mundo estará falando disso menos você’ que era se não me engano o ponto do marketing inicial dos BBBs ou do livro da Bruna Surfistinha, pois não se interessar ou não gostar não faz você não ter opinião. Eu inclusive lembro de que comentei a respeito com um amigo dizendo que “todo mundo que leu o Veneno de Escorpião foi enganado por um golpe de marketing bem feito como um idiota” e, quando ele me respondeu que havia lido (como a desculpa de ser uma analise social), simplesmente respondi “não retiro minhas palavras”.

Na verdade eu imagino que Goebbels deva ter tentado repetir umas dez mil vezes que os nazistas ganharam a guerra e mesmo assim não aconteceu, de modo que não me venha com essa que o inconsciente aceita a lavagem cerebral, por isso acontece só porque não havia nada lá antes, porque se houvesse ele lutaria contra. Como o ponto aqui não é só criticar, mas dar uma opção, responderemos a pergunta de “como fazer o marketing sem precisar apelar para essas mentiras”?

Tente mostrar a seu futuro leitor os pontos fortes de sua história. Fale do que essencial no livro, como os protagonistas, ou a trama ou alguma reviravolta mirabolante da história. Chame atenção para o livro, e não para o fato de que, numa segunda feira de madrugada uma compra feira na Amazon na Indonésia colocou seu livro como ‘primeiro lugar em vendas’, mesmo que por algumas horas.