por Valery

Estou começando a notar uma tendência.

Primeiro, todos os bandidos morrem no final com a exceção do serial killer nos livros recentes. Eles convenientemente desaparecem. Então, não conseguimos entrar na mente do criminoso durante os interrogatórios policiais, ou assistir ao sistema jurídico em ação durante os julgamentos criminais.

Também há sempre pelo menos um homem politicamente poderoso que odeia os protagonistas e quer que as coisas ruins aconteçam com eles. Ele sempre acaba sendo prejudicado por alguma combinação de seu infortúnio e sorte. Neste livro além de tudo eu também tive um problema com a morte repentina de Mark no início do livro. Ele foi dado como morto sendo uma vítima de terrorismo. Ele morre em algum momento entre o fim do terceiro livro e antes deste.

Novamente, conveniente e eu não entendo como isso aconteceu pois parece que no livro anterior ele estava vivo e bem. Acho que Patricia queria deixar um buraco para ser preenchido por um enredo que irá mover a história adiante como um próximo amante de Kay ou a sua dor vingadora. Vamos ver no próximo livro.

No entanto, a história é atraente, e as torcidas são suficientemente boas para me manter lendo, e vou passar para o próximo livro para ver o que acontece em seguida. Mark esta realmente vivo e trabalhando sob cobertura? É o assassino em série neste livro que vai voltar para assombrá-la em livros posteriores? Será que Lucy se tornar uma colaboradora regular de atividades de combate ao crime de Kay? Pete vai sobreviver ao estresse da vida policial? Que novas atrocidades  Kay vera em sua nova posição trabalhando para o FBI? Fique atento para descobrir com o próximo livro da série Lavoura de corpos.

Eu tenho que admitir que adorei este livro da série de Patricia Cornwell. Este é o quarto na série Scarpetta, e eu li somente este,  mas parece que todos eles se mantém muito bem.

Adorei não ser capaz de adivinhar quem  realmente é o assassino, já que Cornwell gosta de trazer o verdadeiro assassino para a história nas últimos 50 páginas ou mais como todo bom escritor de suspenses. Antes disso, você não atenta a esse personagem. Esta é definitivamente está para entrar para uma das minhas séries favoritas de crime.

Capa, diagramação, tradução e revisão muito bem feitas.

Abaixo, a ordem correta da Série Scarpetta  (nome e ano de publicação nos EUA e depois nome e ano de publicação e reedição aqui)

Série Scarpetta

  1. Postmortem (1990) – Post Mortem (1999) ( 2012) ( resenha no blog)
  2. Body of Evidence (1991) – Corpo de Delito (1995) ( 2013) ( resenha no blog)
  3. All That Remains (1992) – Restos Mortais (1999) (2013) ( resenha no blog)
  4. Cruel and Unusual (1993) – Desumano e degradante ( 1996)
  5. The Body Farm (1994) – Lavoura de corpos ( 1998)
  6. From Potter’s Field (1995) – Cemitério de Indigentes (1997)
  7. Cause of Death (1996) – Causa mortis (2000)
  8. Unnatural Exposure (1997) – Contágio criminoso( 2001)
  9. Point of Origin (1998) – Foco inicial ( 2002)
  10. Black Notice (1999) – Alerta negro ( 2004)
  11. The Last Precinct (2000) – A última delegacia ( 2005)
  12. Blow Fly (2003) – Mosca -varejeira ( 2006)
  13. Trace (2004) – Vestígio ( 2008)
  14. Predator (2005) – Predador ( 2009)
  15. Book of the Dead (2007) – O livro dos mortos (2010)
  16. Scarpetta (2008) – Scarpetta ( 2012)
  17. The Scarpetta Factor (2009)
  18. Port Mortuary (2010)
  19. Red Mist (2011)

 

Capa, ficha técnica, sinopse

desumano

Desumano e Degradante

Cruel and Unusual

Patricia Cornwell
ISBN:9788565530415
Editora: Paralela
Número de páginas: 320
Encadernação: Brochura
Formato: 16 X 23 cm
Ano Edição: 2013
Tradução: Luiz Dilermando Castello Cruz

Sinopse

Em Richmond, no centro-leste dos Estados Unidos, os dias que precedem o Natal são curtos e cinzentos. Nas ruas a neve se mistura com a lama. Em 13 de dezembro, um homem é executado na cadeira elétrica, inculpado pela mutilação de uma jovem apresentadora de TV. No mesmo dia, um garoto de treze anos é encontrado também mutilado. Dias depois, um novo crime assusta a cidade. Fala-se em bruxaria. Algo terrível parece estar à solta. Os fatos descobertos pela dra. Kay Scarpetta, legista-chefe do estado de Virginia, apontam para uma solução absurda. Mortos não cometem crimes.