Jamie Mcguire – Bela Chama @Verus_Editora #resenha


bela-chama

Ciao!

Confira a resenha do livro  Bela Chama da autora Jamie McGuire, publicada pela Verus

Fato: sou incompatível com esta série. Tive uma dupla ilusão com Thomas e Taylor, mas, por tudo quanto é mais sagrado, minha paciência evaporou nos primeiros capítulos. E nada a trouxe de volta.

Querem um texto sofrido e mal humorado? Boa leitura!

Personagens: Ellison “Ellie” Edson e Tyler Maddox

Ellie estava em uma rota certeira de autodestruição. A jovem rica vivia uma vida sem propósito, desregrada, à base de muito álcool, drogas e não se importando realmente com nada. Nem com a família, nem com os eventuais parceiros de sexo, nem com ela mesma. Até que os pais resolveram intervir e obrigá-la a se virar para viver. Tyler foi um parceiro de ocasião de Ellie e, por mais que ela avisasse de que era uma “vaca que seria má com ele”, não conseguiu se manter afastado. Será que o bombeiro civil acostumado a enfrentar incêndios florestais conseguiria sair intacto deste relacionamento complicado?

Comentários:

O sonho acabou. Aquele sonho patético que eu tinha de simpatizar com alguma das protagonistas femininas da série Maddox – porque, vocês bem se lembram, só gosto dos dois rapazes já citados da família de fios desencapados. Ellie me irritou tanto que quase conseguiu uma façanha: me fazer abandonar um livro. Afinal de contas, sabe aquele “Irmãos Maddox” ali na capa? Esquece! Ela é a protagonista do livro. Tyler virou um coadjuvante que tem a ingrata batalha de salvá-la de si mesma.

Exatamente. Era a chance de ler um livro que não fosse “TravisAbbycêntrico” e aprender mais sobre o outro gêmeo bombeiro civil. Aí me deparo com uma narradora em rota de autodestruição, mas que ao invés de se dar um destino bom ou ruim, fica vivendo na agonia de magoar indiscriminadamente para chamar a atenção para a dor existencial dela. E que não admite que precisa de ajuda. E que fica irritada quando é confrontada com as consequências das suas ações. E que não consegue quebrar o ciclo vicioso que a fez morar no fundo do poço.

Sim, dependendo da forma como é conduzido, um personagem assim desperta empatia, simpatia e a torcida de quem lê. No entanto, a pobre e infeliz Ellie Edson conseguiu despertar minha raiva. Porque ela é manipuladora, age consciente do que está fazendo, assume o risco do comportamento irresponsável e depois não segura a marimba quando as consequências começam a cobrar a conta. Ela sabe que está cercada de pessoas tão detonadas quanto ela – a começar de Finlay, a irmã mais velha (outra criatura mimada, egoísta e irritante), Sterling (patético e fraco que não consegue enfrentar as causas da própria infelicidade – seja lá quais forem – para sair disso), os pais que achavam que o dinheiro ajudaria a colocar as meninas no molde perfeito e encobriria a pobre família rica desfuncional, Paige (que se deixa usar e usa todos). Como é que alguém vai se divertir lendo um livro assim?

Me perdoem, mas me senti realmente enganada porque eu queria saber mais do Tyler. Não ficar vendo ele ir atrás da “vaca má” (como ela mesma se define) e embarcando de cabeça, ombros, joelhos e pés, em uma relação que só posso definir como ruim na falta de uma palavra melhor. Em torno de 100 páginas de leitura sofrida e arrastada estava me convencendo de que parecia castigo – na falta de uma brecha para citar como é grande o amor de Travis e Abby, a autora criou uma versão feminina do Travis e fez o pobre do Tyler se apaixonar por ela. Detalhe: ao contrário dos irmãos, que pisam na bola intencionalmente ou não, ele não faz nada para magoá-la (embora lá pelas tantas ele se deu conta de algo que eu reparei ao longo da trama e se sentiu culpado porque não ajudou tanto como achava que poderia – mas reforço que era uma decisão que, nos fins da contas, era dela e que ela não estava preparada). Mas ele vai aprender que ninguém nesta situação de vício é salvo apenas pelo amor dos outros. A pessoa tem que querer comprar a briga, lutar por si mesma e por cada dia de sobriedade. Corre, Bino, é uma cilada!

Mas como tudo sempre pode ficar mais irritante, não é que aparecem Travis-Abby-e o grande amor que os une? (Ah, caso você AINDA não saiba vai ser mencionado que Travis se envolveu em um incêndio na faculdade onde muitas pessoas morreram, tá? AAAARGH!). Também participam Trent e a mala da Camille. Papai Maddox também participa, demonstrando que sabe mais que seus gêmeos gostariam – e é Ellie quem revela isso a Tyler. Thomas só é citado algumas vezes, uma delas com a insuportável da Liis. Eu sinceramente, por motivos óbvios, esperava ver mais do Taylor (afinal de contas, há pontos convergentes nas histórias dos gêmeos), mas ele parece estar sempre de passagem (especialmente quando começa a história dele com a Falyn) ou se encrencando por tabela nas confusões que andam junto com Ellie.

Ela vai se redimir, a muito custo e sofrimento e dor dela, de Tyler. Sei que foi escolha dele comprar a briga dela, tentar salvá-la de si mesmo, mas isso era algo que não poderia vir dele, nem do amor que ele sente por ela – e que eu duvidei que ela correspondesse já que ela é uma miscelânea de sentimentos confusos e negativos. Ele merecia alguém que o amasse tão intensamente como os Maddox conseguem ser.

Enfim, dei graças a Deus – incluindo uma dancinha da vitória – quando terminei e lamentei não ter comprado O livraria mágica de Paris, que tem cara de ser muito mais agradável que as agruras que Tyler teve que passar para convencer a alma gêmea a amá-lo também.
De qualquer forma, mantenho a minha palavra de que irei ler o próximo livro, porque algo me diz (não, não li nenhum spoiler e nem preciso recebê-los, grata) que será a minha última leitura da série e da autora. Como disse no Facebook ao compartilhar as notícias no anúncio do lançamento de A Beautiful Funeral, se a autora matar quem estou suspeitando, o Travis tiver envolvido e a culpa sobrar para o Thomas, a série acabou para mim. Já avisei #MadreHooligan, que ama a família dos fios desencapados e das protagonistas insanas, loucas, egoístas e surtadas, que só entra aqui em casa se ela comprar porque eu não farei isso. Tem muito livro mais agradável pra eu ler do que esse samba de toada desgracenta. Vamos esperar 2017 e ver se o improvável milagre acontece. Duvido, mas… vamos esperar.

Série Belo Desastre ( todos com resenha no Livrólogos)

  1. Belo Desastre – Beautiful Disaster (2011)
  2. Desastre Iminente – Walking Disaster (2013)
  3. Belo Casamento – Beautiful Wedding (2014)

Série Irmãos Madoxx

  1. Beautiful Oblivion – Bela Distração – Cami Camlin e Trenton Maddox
  2. Beautiful Redemption – Bela Redenção – Liis Lindy e Thomas Maddox
  3. Beautiful Sacrifice – Belo Sacrifício – Falyn Fairchild e Taylor Maddox
  4. Beautiful Burn – Bela Chama – Ellie Ellerson e Tyler Maddox

CAPA, FICHA TÉCNICA, SINOPSE

bela-chama

Bela Chama

Irmãos Maddox 4

Beautiful Burn 

Jamie McGuire

ISBN: 9788576865520
Editora: Verus
Número de páginas: 294
Encadernação: Brochura
Formato: 16 X 23 cm
Ano Edição: 2016

SINOPSE

Na casa de férias de sua família no Colorado, o comportamento de Ellie finalmente chama a atenção de seus pais, mas não da maneira que ela esperava. Por causa disso, ela é afastada da fortuna da família e obrigada a se virar sozinha. Mas o redemoinho em que Ellie se encontra fica fora de controle, e ela comete um erro grave, que não vai ser capaz de reparar. Assim como Taylor, seu irmão gêmeo, Tyler Maddox é membro da Equipe Alpina de Bombeiros de Elite, combatendo incêndios florestais na linha de frente. Tão arrogante quanto charmoso, o estilo de vida nômade de Tyler torna mais fácil restringir seus relacionamentos a uma única noite. Quando ele conhece Ellie em uma festa durante a baixa temporada de incêndios, a personalidade forte e a atitude indiferente da garota o deixam fascinado. Mas, conforme seus sentimentos começam a se tornar intensos, Tyler se dá conta de que os demônios interiores da mulher que ele ama podem ser o inimigo mais poderoso que qualquer Maddox já enfrentou. Em “Bela chama”, você vai acompanhar a história quente e chocante de Tyler, o gêmeo Maddox que faltava na sua coleção dos irmãos mais irresistíveis da literatura new adult. E vai entender por que um Maddox é capaz de tirar a mulher amada do fundo do poço e levá-la às alturas.

Bacci!!!

Beta

Previous BASTIDORES LITERÁRIOS - A Universalidade e o Mercado Nacional
Next Mary Kubica - A Garota Perfeita @PLANETALIVROSBR #RESENHA

17 Comments

  1. 06/12/2016

    Amei sua resenha! Dei uma risada no final kkkk. Eu já li três livros da autora e ela realmente não funciona comigo. Eu amo new adults, mas nosso santo não bateu. Vou passar bem longe desses lançamentos!!! hahahha Ah, quero MUITO ler A Livraria Mágica de Paris também 😀
    Beijos!!!

  2. 06/12/2016

    Oi Beta, sua linda, tudo bem?
    OMG!!!! Senti uma pontada no coração agora, a autora é minha sogra e amo de paixão Travis Maddox!!! Eu ainda não li nenhum dos livros dos irmãos e fiquei bastante surpresa com sua resenha. É a primeira que leio com esses apontamentos. E também não sabia nada sobre esse próximo livro. Tomara que realmente o pior não aconteça. Espero não me decepcionar, porque como sou fã irei ler toda a série. Gostei muito da sua sinceridade.
    beijinhos.
    cila.

  3. Gabriela Cerqueira
    05/12/2016

    Oh mulher, eu adorei sua resenha viu, realmente eu detesto personagens que não seguram a marimba KKKK, acho que a sua resenha resumiu o porque deu não ler new adults, não generalizando todo os livros desse gênero, pois já li um ou outro que gostei muito mas esses personagens extremamentes problemáticos que só fazem se sabotar me irritam demais, nunca tive vontade nem de ler abby e travis agora que eu não quero mesmo kkk

  4. 04/12/2016

    Olha, o fato de ser uma série, já me faz querer distância e li Belo Desastre, até onde consegui, não curti, logo, não sou o público alvo. Pena a leitura não ter sido tão proveitosa para você.

  5. Oiii!!

    Eu não comecei essa série e nem pretendo… Infelizmente ela não me atrai e pelo o que pude perceber pela resenha, não te agradou tanto assim. Mas sou como você. Se começo uma série vou até o final.

    beijinhos

  6. 03/12/2016

    Olá!

    Não conhecia esse livro, só os outros da série, mas não me senti atraída com a premissa. Apesar de não ter lido, minha opinião sobre a história é parecida com a sua. Aliás, muito bom o seu ponto de vista, sincero, o que é essencial para que a resenha fique bem escrita.

  7. 02/12/2016

    Olá!
    Sempre vi várias pessoas falando muito bem dessa série, então para mim foi uma surpresa ver a sua resenha, apesar de ter apreciado muito a sua sinceridade. Eu ainda não tive a oportunidade de ler nenhum volume, mas morro de vontade. Achei sua resenha importante para baixar as minhas expectativas.
    Beijos.

  8. 02/12/2016

    Oi Beta!
    Li toda sua resenha só pra ter certeza que realmente não devo embarcar nessa série rsrsrs
    Já li posts positivos e negativos, mas a maioria tem postos de visto parecidos com o teu. Ler uma série já é algo difícil, imagina quando se é assim tão chata? Melhor esquecer e pular pra outros.
    Parabéns pela resenha, bjs

  9. Beta Oliveira
    01/12/2016

    Oi, meninas! Eu tenho problemas com a série desde o início. Não fui com a cara do par Travis-Abby e nem pretendia ler as sequências. O problema é que #MadreHooligan amou, então, já que os livros estavam aqui, continuei lendo. Afinal de contas, a gente nem sempre encontra apenas livros que ama, né? Só que tem hora que a paciência acaba…
    Na minha opinião, o único Maddox que se salva é o Thomas. Eu também gostei dos gêmeos, mas não das tramas deles. As garotas variam entre “chata” e “insuportável”; os livros sempre voltam na novela Travis-Abby; a Abby é uma deusa no pedestal de todos e é todo mundo tão ferrado e confuso que a sensação ao terminar o livro é de “Graças a Deus”.
    E já avisei à minha mãe que se confirmar o que eu acho que vai rolar em Beautiful Funeral, acabou: a autora entra na minha lista de “Não sou obrigada” porque não vou seguir nesta toada de sofrência, não. Tem muito mais livro me esperando pra ler, uai!
    Obrigadas a todas vocês pelos comentários e à Rô por me deixar esbravejar aqui também! 😀

  10. Olá, Beta.
    É o horrível quando um livro deixa essa sensação na gente.
    Uma pena que você não tenha curtida a leitura, até eu, no seu lugar, ficaria incomodada com a forma como a Ellie se comporta. Só que sou menos paciente que você, então eu teria abandonado com certeza.
    E é muito admirável a sua sinceridade.
    Abraços.

  11. 30/11/2016

    Viiish… Ok, não vou ler seu post revoltado, pq eu só li o primeiro livro dos Irmãos Maddox. É engraçado… todo mundo gosta dessa série, mas essas mesma pessoas reclamam muito. Eu pelo menos vejo muita reclamação. Eu demorei pra curtir o livro do Travis, a versão dele. Só pro final eu engranei na leitura. Aí vieram os livros dos irmãos… bom, só li um e gostei, mas conheço milhares de pessoas que leem, mas que reclamam, principalmente das meninas, das mulheres dos irmãos. E vamos combinar… Jamia não para, não para de faturar e eu não sei se tem tanta história assim pra continuar.
    Preciso ler os outros irmãos pra ter minha opinião.
    Bj

  12. 29/11/2016

    Olá!
    Não tenho a mínima vontade de ler essa série. Me parece bem chatinha, na verdade.
    Adorei sua resenha super sincera haha

  13. 29/11/2016

    Olá Beta, tudo bem?
    Odiei o tiulo desse livro. Eu até gosto dos livros da Jamie, mas acho que ela está arrastando demais uma historia que já deveria ter terminado. Se você não gostou muito desse, imagino que não vai curtir beautiful funeral, certamente não está entre os melhores da serie. beijos

  14. Aricia Aguiar
    29/11/2016

    UAU!
    AMEI!
    Finalmente achei alguem que concorda comigo, minhas amigas amam os “brothers” mas eu parei no segundo livro, porque a série virou uma Bela Porcaria!
    Obrigada por nos mostrar de forma bem clara, os pontos pelo qual não ler esse livro.
    Bjks
    Comentando para o blog Livros & Tal

  15. 29/11/2016

    Oiii Beta, cmo vai?
    Infelizmente dessa vez o livrinho não despertou meu interesse, por isso irei pular a dica. Mas, parabéns pela sua resenha que ficou ótima e adorável de ler.
    Abraços

  16. 29/11/2016

    Olá
    Tá aí uma série que já me irritou logo no primeiro livro, e olha só parece que o único irmão que parece gente boa é jogado de escanteio para dar destaque a outra traste, gente esse livro não é para mim não.

  17. Oi, Beta.
    Adorei a sinceridade da sua resenha.
    É uma pena que as garotas não sejam lá essas coisas… Dessa nova fase eu só li o primeiro livro, mas pretendo ler os outros porque sou curiosa e teimosa!! rs…
    beijos
    Camis

Deixe um comentário! Quero saber o que achou do texto ;)